Economia

Foto: Marcelo Horst

Em reunião com empresários filiados ao Sindicato das Indústrias da Madeira e do Mobiliário do Estado do Tocantins (SIMAM/TO), o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto), Roberto Magno Martins Pires, destacou a importância da inovação para a competitividade. A reunião aconteceu na sede da Fieto, em Palmas, na manhã desta quinta, 05/06, com a participação por videoconferência de empresários do segmento de Araguaína e Gurupi. O objetivo foi a apresentação de resultados do Simam, sindicato presidido pelo empresário Tiago Ferreira.

Acerca da participação do Simam em missão internacional de negócios no mês de abril, assunto principal da reunião, Roberto Pires, ressaltou a oportunidade dos empresários observarem o que há de mais novo em tecnologias, tendências e possibilidades de investimentos no setor e trazerem estas novidades para o Tocantins.

“Inovação tem que estar na agenda dos empresários. O Brasil e o Tocantins são destinados a crescer, pois com tantas adversidades, como carga tributária elevada e risco Brasil elevado, ainda conseguimos continuar crescendo. E a opção do empresário para isso é inovar para se tornar competitivo”, disse o presidente da Fieto.

O apoio da Fieto às ações do Simam foi reconhecido por Tiago Ferreira que apresentou resultados importantes como o anúncio de investimentos e contratação de mão de obra especializada em design por empresários participantes da missão internacional. A criação de uma Central de Negócios na capital, local que funcionará também como sede do Simam, foi anunciada pelo presidente que irá apresentar o projeto para busca de parcerias como a da Fieto.

Tecnova

Para viabilizar mais investimentos em inovação, Pires reforçou o convite aos empresários para o lançamento do edital do Programa de Apoio à Inovação Tecnológica – Tecnova, projeto desenvolvido pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL/TO), Governo do Estado e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), marcado para o próximo dia 11 de junho. Serão contemplados projetos com valor mínimo de R$ 160 mil e máximo de R$ 400 mil reais com foco em inovação disponibilizando recursos não reembolsáveis até o limite de R$ 8.727.272,74 milhões de reais.