Estado

Foto: ATN

O governador Sandoval Cardoso (SD) nomeou, na noite desta última quinta-feira, 5 de junho, o até então procurador-geral do Estado André Luís Matos Gonçalves, 39 anos, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Agora, quem passa a responder pela chefia da Procuradoria Geral do Estado (PGE) é Rosana Medeiros Ferreira Albuquerque, procuradora do  desde 1994. Ela foi nomeada e empossada também na noite desta quinta-feira.

No TCE, André Matos assume a vaga deixada por Hebert Carvalho de Almeida, que se aposentou em março deste ano após completar 70 anos de idade. “Este dia é muito importante para a história do Estado. Tenho orgulho em assinar a nomeação de André Matos para o TCE. Um homem íntegro, respeitado em todo o meio jurídico e muito profissional”, destacou o governador.

André Matos é cearense e casado. Primeiramente, ele fez carreira no Exército, onde permaneceu por 14 anos e chegou à patente de capitão. Advogado e professor de direito, integrava os quadros da Procuradoria Geral do Estado do Tocantins desde 2007.

Ele ainda foi reitor da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) de março a dezembro de 2010.

Ao falar da sua escolha, André Matos disse se sentir muito honrado pela indicação do seu nome. “Sempre procurei, tanto no Exército, na advocacia, na Unitins ou na Procuradoria atender os anseios da sociedade e espero cumprir isso na nova função”, salientou.

Sobre o seu trabalho no TCE, André Matos ressaltou que quer atuar junto com os municípios, os auxiliado de forma permanente. “Defendo que a reprimenda seja o último recurso, antes temos que auxiliar os municípios a fazer as coisas corretamente”, destacou.

Em relação a sua substituta na PGE, André Matos afirmou que Rosanna Albuquerque é uma excelente profissional, exerceu suas funções na sub procuradoria com alta competência e está totalmente habilitada para o novo cargo.

Procuradoria

A nova procuradora-geral do Estado, Rosanna Albuquerque, é natural de Fortaleza e reside no Tocantins desde 1990. Depois de trabalhar em Brasília, no Tocantins ela passou pela assessoria jurídica do Instituto de Previdência do Estado do Tocantins (Ipetin, hoje Igeprev), pela Prefeitura de Sandolândia e pela Associação Tocantinense de Municípios (ATM), até que em 1994 se tornou procuradora do Estado. (ATN)