Polí­tica

Foto: Divulgação

A confirmação da indicação do ex-governador Siqueira Campos (PSDB) para o Senado através de uma carta aberta repercutiu no grupo da oposição. O ex-governador ainda disse que aceita ser candidato ao Senado para lutar pelas reformas básicas que promovam “as mais profundas mudanças no País, especialmente através da adoção de um novo Pacto Federativo, que transforme o Brasil numa verdadeira República Federativa”.

Para o pré-candidato do PT ao governo, Paulo Mourão, a indicação só oficializou o que todos já sabiam. “Não tem novidade nenhuma. É bom que o Siqueira esteja na majoritária porque a vitória será mais saborosa. Vamos dar uma surra de votos neles”, frisou.

Na opinião de Mourão, a indicação mostra ainda que o governador Sandoval Cardoso (SD) faz um governo de continuidade. “ Eles estão no mesmo balaio e estão juntos para continuar o processo de corrupção”, disse.

O também pré-candidato ao Governo pelo PV, Marcelo Lelis também concorda com Mourão. “A indicação confirma o que o Tocantins já sabe: que existe um processo de continuidade iniciado no golpe político”, comentou em entrevista ao Conexão Tocantins.

Do PMDB, o pré-candidato Marcelo Miranda considerou que será o momento oportuno para que a população faça o julgamento popular. “ Acredito que a população terá a oportunidade de julgar os que tem compromisso e os que não tiveram”, disse. Para Miranda a oposição estará unida e sairá fortalecida desse processo.

Chapa do governo

A chapa do governo falta somente a definição do vice já que Sandoval vai disputar reeleição e Siqueira irá para o Senado. A base governista ampliou a base de partidos e ganhou a adesão nas últimas semanas do PP e PDT.