Meio Ambiente

Foto: Divulgação

O dia 17 de junho foi instituído pela Organização das Nações Unidas em 1995 como sendo o Dia Mundial do Combate à Seca e à Desertificação. Nesta data tão significativa a Prefeitura de Palmas, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (Seder), pretende avaliar o andamento de ações desenvolvidas na Capital no sentido de combater a seca e a desertificação de áreas rurais do Município. Ações como o programa Melhor Caminho que trata da conservação do solo e mananciais e ainda o Decreto nº 560/ 2013 que possibilitou a abertura de cacimbas e barraginhas para mais de 100 famílias em situação de risco. 

Pela manhã os técnicos se reunirão para debater sobre o combate à seca e desertificação e durante toda esta terça-feira a equipe desempenhará ações práticas voltadas ao tema. “É uma forma de termos em mente que todas as atividades agrícolas devem vir acompanhadas de uma preocupação com o meio ambiente”, explica Roberto Campos Pinto, agrônomo da pasta.

De acordo com o Centro de Informações das Nações Unidas (Unirc), a desertificação e a degradação dos solos afetam um terço da superfície da Terra, ameaçando os meios de vida, o bem-estar e o desenvolvimento de milhões de seres humanos. Confrontados com longos períodos de seca, fome e pobreza crescente, muitos deles não têm alternativa senão fugir da sua terra. Estima-se que 24 milhões de pessoas tenham migrado devido a problemas ambientais. Este número poderia atingir 200 milhões até 2050.

Este ano, a celebração do Dia Mundial de Luta contra à Desertificação e à Seca salienta a ameaça crescente que a desertificação e a seca representam para a estabilidade nacional e internacional. Quase um terço das terras cultivadas se tornou improdutivo, nos últimos 40 anos. As alterações climáticas contribuíram para essa situação, mas são apenas um dos fatores.

Para a Unirc é urgente a necessidade da população reconhecer os riscos que advêm de permitir que a desertificação avance. É preciso lutar contra as alterações climáticas e assim contribuir para inverter a desertificação, aumentar a produtividade agrícola, atenuar a pobreza e reforçar a segurança a nível mundial. (Secom Palmas)