Estado

Foto: Divulgação

Segundo o Ministério Público Estadual, tendo em vista os indícios de fraudes ao Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores de Araguaína (Impar), com supostas ausências de repasses para o fundo previdenciário da contribuição recolhida dos servidores e também da contribuição patronal devida pelo município, o Ministério requereu ao presidente do Instituto, Carlos Murad, o envio de informações.

Foram requisitados pelo Promotor de Justiça Alzemiro Wilson Peres Freitas, titular da Promotoria de Justiça do Patrimônio Público de Araguaína, os comprovantes dos repasses realizados à previdência, entre os meses de janeiro e junho de 2014, referentes à contribuição recolhida dos servidores e à devida pelo município.

O gestor do instituto também deve remeter ao MPE relatórios detalhados dos pagamentos realizados à Previdência Social nos últimos 10 anos, dos débitos existentes na previdência e de auditorias que eventualmente tenham sido realizadas nas contas do Impar ao longo da última década.

O município tem o prazo de 10 dias para enviar a documentação solicitada à 6ª Promotoria de Justiça de Araguaína. (Ascom MPE)https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif