Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

Alguns alunos do curso de formação de soldados do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Tocantins que preferiram não se identificar, reclamam que o pagamento do bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 800 que é pago a eles até que seja efetuada a conclusão do curso não está sendo feita regularmente. Os alunos reclamam que o pagamento atrasa muito e que a bolsa é o único recurso para alguns se manterem em Palmas até a conclusão do curso. Segundo eles, a não fixação de data certa para o pagamento está tornando a situação de vida de alguns alunos, miserável.

Os alunos reclamam que o pagamento do mês de maio ainda não foi acertada. "Até a presente data, a bolsa-auxilio no valor de 800 reais referente a maio não havia sido paga. Em virtude disso, muitos candidatos estão literalmente passando fome, sem energia e água em suas casas e morando de favor por não terem condições de pagar o aluguel", afirmou um candidato.

Segundo outro candidato não é a primeira vez que o atraso acontece "porém dessa vez a situação é muito preocupante, pois a bolsa é a única renda que temos, e é destinada para, além de custear os custos diretamente ligado ao curso (material, transporte e alimentação), é também a única fonte de sustento, para alguns até familiar",afirmou.

Os alunos salientam ainda que alguns candidatos sobrevivem de cestas básicas doadas por militares ou associações. Eles ainda reclamaram ao Conexão Tocantins que a jornada de curso é de domingo a domingo acrescentando serviços externos, "o que gera um gasto ainda maior, pois a corporação não oferece nenhuma alimentação durante o serviço, que chega a durar 12 horas, restando ao candidato custear sua alimentação em atividades alheias ao curso de formação ou,  muitas vezes, passar fome", afirmou um dos alunos.

Excedentes do concurso

Outra reclamação relacionada ao Concurso dos Bombeiros, é a dos excedentes. A reclamação é que cerca de 180 excedentes foram convocados para realização de todas as etapas após a realização do certame, a exemplo a etapa psicológica do concurso para porventura serem convocados, gastaram cerca de R$ 3 mil com exames médicos e demais demandas do concurso e, segundo eles, no entanto, provavelmente não serão chamados e questionam falta de posicionamento para com eles.

Daniel Gomes da Silva  é excedente do concurso e afirmou ao Conexão Tocantins que os excedentes passaram por todas as etapas desnecessariamente. "Passamos até a quarta etapa que é a do exame médico, que já é para ingressar no concurso. Fizemos todos os exames, gastamos dinheiro, veio gente da Bahia, Brasília, pagamos caro e entendemos ser um gasto desnecessário, porque todos que fizeram o concurso entenderam que nessa fase já é para chamar ou no mínimo fazer o cadastro de reserva, mais nem um e nem outro", afirmou.

Ainda segundo ele, não é comum no Brasil ter esse tipo de procedimento, "chamar para fazer todas as etapas e simplesmente não chamar pra nada. Queremos saber o que vai acontecer com a gente, a gente sabe que o corpo de bombeiros precisam desses soldados. Colocou a gente para fazer todas as etapas, criou expectativas de que iríamos ser chamados. Teve gente que não tinha condição e pegou dinheiro emprestado para fazer os exames. A gente sabe que os bombeiros do Tocantins são limitados. Ouve arbitrariedade, agiram de ma fé, gastamos sem precisão", salientou.

O concurso dos bombeiros foi realizado no dia 10 de novembro de 2013. Mais de 10 mil candidatos que se inscreveram.

Posição do Comando 

Por meio de nota, o comando do Corpo de Bombeiros do Estado informou ao Conexão Tocantins que o auxílio-financeiro recebido pelos alunos do CFSD/2014 do Corpo de Bombeiros deve ser regularizado ainda neste mês. Segundo o órgão, o atraso se deu por razões alheias à vontade da instituição, pois os candidatos não são efetivos e não são incluídos na folha de pagamento da corporação, sendo inclusos na folha somente com a conclusão do curso, tomando posse, que acontecerá em agosto.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, conforme disposto no edital do concurso, a jornada de estudos e estágios do CFSD/2014 é realizada em regime de tempo integral, com dedicação exclusiva, cujas atividades poderão ser desenvolvidas nos horários diurno e noturno, inclusive aos sábados, domingos e feriados, estando dentro do planejamento do curso para a formação dos alunos.

Ainda é informado pelo órgão que o edital do concurso informa que o CFSD/2014, 6ª etapa do certame dispõe de 100 vagas, mas candidatos remanescentes classificados na penúltima etapa podem ser chamados, conforme a necessidade da instituição, nestes casos os exames não precisarão ser refeitos.