Meio Ambiente

Foto: Fabiola Diass

Nesta segunda feira, 14, às 14h30, o gestor do Instituto Natureza do Tocantins – Naturatins, Stalin Beze Bucar Junior, divulgou em coletiva uma Nota Técnica referente à inspeção realizada pela equipe do órgão na Ferrovia Norte Sul, na região localizada no município de Porto Nacional onde ocorreu um incidente de derramamento de 84 mil litros de gasolina no solo.

A inspeção do Naturatins ocorreu no dia 9 de Julho por volta das 9h. Na ocasião foi constatado pela equipe que não havia mais vestígios visíveis da presença do combustível no solo, mas o local possuía forte odor de gasolina. No relatório constava ainda que a quantidade de combustível infiltrada no solo não foi estimada, e que será necessária a realização de análises físico-químicas do solo para verificar o grau de contaminação.

Ainda na ocasião, foi notada a existência de um córrego próximo ao local do descarrilamento, no entanto não foi encontrado nenhum vestígio de que o mesmo tenha sofrido algum dano ambiental proveniente do derramamento de combustível.

Notificação

O Naturatins notificou a empresa a comparecer na sede do órgão no prazo de 20 dias para apresentar todos os relatórios e estudos ambientais, além do Plano de Atendimento a Emergências – PAE juntamente com um relatório detalhando as ações tomadas logo após o acidente para que os danos ambientais causados pelo derramamento fossem mitigados.

Restaram para o prazo de 20 dias a apresentação de análises físico-químicas do solo no local onde ocorreu o acidente e laudo conclusivo, conforme preconiza a Resolução Conama 420/2009. Também foi requerida a apresentação de um Estudo de Impactos Ambientais – EIA do local, incluindo nesse estudo, todas as medidas mitigadoras que serão realizadas pelo empreendimento para a diminuição desses impactos.

A empresa VLI não foi multada uma vez que ainda não se pode mensurar o tamanho do impacto ambiental. “Foi questionado o porquê de a empresa ainda não ter sido multada, estamos esperando o laudo físico-químico para saber o teor do impacto ambiental para mensurar se é passível de multa, ou se com o plano de emergência eles conseguirão conter conforme a lei orienta. Então a partir de 20 dias quando recebermos o laudo, iremos analisar e só então aplicar ou não multa”, explicou o gestor.

VLI

Foi constatado que a empresa Valor Logística Integrada (VLI) tomou as providências necessárias de imediato, comunicando o acontecimento ao Corpo de Bombeiros que estiveram no local, usando o plano de contenção, para evitar que a área afetada fosse maior e realizando o fechamento da válvula para cessar o vazamento.

A empresa também prosseguiu com a retirada da parte superior do solo, e acionou o Plano de Atendimento a Emergências que esteve no local, que já foi entregue ao Naturatins.

“A Ferrovia Norte Sul informa que concluiu ainda ontem, quarta-feira (9), às 16h, a liberação do trecho da linha férrea, onde ocorreu o descarrilamento de um vagão de um dos seus trens, que circulava na região de Porto Nacional (TO) carregado de combustível. O descarrilamento aconteceu às 20h30 da terça-feira (8), com vazamento de 84 mil litros de gasolina do vagão para o solo. As equipes de segurança e operação da FNS foram deslocadas ao local e contiveram o vazamento junto com o Corpo de Bombeiros. Os outros 16 mil litros foram passados para um caminhão tanque. A empresa continua no local concluindo a limpeza dos resíduos causados pelo vazamento. A FNS esclarece ainda que as causas da ocorrência estão sendo apuradas por uma comissão de técnicos”, FNS esclarece em nota a liberação da linha férrea.

O Incidente

O ocorrido se deu no dia 08 de Julho por volta das 20h30. O Trem em questão é de propriedade da empresa Valor da Logística Integrada – VLI e possuía 39 vagões que transportavam combustível do Maranhão até a unidade da Petrobras no município de Porto Nacional. Na ocasião, o 18º vagão saiu dos trilhos, provocando o rompimento de uma válvula localizada na parte inferior que era responsável pelo descarregamento do combustível.

O vagão que descarrilou possuía capacidade para armazenar 118 mil litros de combustível, mas segundo informações de Marcelo Augusto, gerente de Gestão Integrada da VLI, o mesmo estava carregado com 100 mil litros de gasolina, e desse volume, 84 mil litros foram derramados no solo e o restante permaneceu no vagão, uma vez que a vazamento foi cessado em decorrência do fechamento da válvula. (Ascom Naturatins)