Polí­tica

Foto: Divulgação

A senadora Kátia Abreu (PMDB) protocolou na noite desta sexta-feira, 1º de agosto, no Ministério da Saúde, pedido junto ao ministro Arthur Chioro, para que aquele Ministério mande um representante para participar da anunciada audiência pública sobre a terceirização do Hospital Regional de Araguaína, prevista para o próximo dia 5 de agosto. Kátia argumenta, no documento protocolado, que há falta de transparência, por parte do Governo do Estado do Tocantins, ao querer terceirizar o serviço de saúde pública naquele hospital por R$ 51 milhões ao mês, de forma açodada, sem possibilitar uma discussão mais aprofundada por parte da população e em pleno período de campanha eleitoral.

Para a Senadora, a terceirização, nos termos em que é colocada, necessita de abordagem técnica mais amiúde dos órgãos públicos e de prazos mais dilatados de discussão,  dada a cifra colocada de R$ 258 milhões em cinco anos e o caos reinante na saúde pública estadual, com a suspensão  de plantões hospitalares, de serviço de UTI Aérea,  de coleta de lixo hospitalar por inadimplência rotineira da Administração como fartamente denunciado por pacientes e divulgado pelos meios de comunicação.

No pedido, a senadora Kátia Abreu ressalta ainda as inconsistências da administração que consome  cerca de 96%  do orçamento da saúde com o custeio da máquina “o que exige a participação desse Ministério da Saúde em discussão de tal monta, que a administração pretende realizar a toque de caixa, como se insurge, estabelecendo um calendário próprio exíguo de 15 dias, como se divulga, para apreciação e aprovação da terceirização daquela unidade hospitalar”, pontua a parlamentar no seu pedido protocolado no Ministério da Saúde.