Polí­tica

Foto: Divulgação

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira, 06, Joaquim Rocha do Psol  que teve sua candidatura  ao Governo do Estado indeferida pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na manhã de segunda-feira, 04, afirmou que o partido se reuniu na noite de ontem e decidiu que irá recorrer da decisão e seu nome será mantido na disputa ao Palácio Araguaia.

Já nesta terça-feira, segundo Joaquim Rocha, em reunião com o advogado do partido, o Psol tomará todas as decisões pertinentes.

Segundo Joaquim Rocha a decisão tomada por unanimidade pelo pleno do TRE já era esperada e o que aconteceu foi muito injusto. “Tem muita gente ganhando nesse processo. O foco da campanha se perdeu. Pegar uma prestação de contas de 12 anos atrás e achar que não estou apto e liberar o Marcelo (Miranda) com o tanto de processo que ele tem. [...] Já era esperado. A justiça não foi feita”, afirmou.

Por unanimidade

O pleno acompanhou, por unanimidade, o relator do processo, o juiz Hélio Eduardo da Silva pela inelegibilidade de Joaquim Rocha. 

Secretário

Segundo o secretário geral do Psol, Cassius Clay Assunção Fonseca, Joaquim Rocha se equivocou em dizer que o partido irá recorrer e que manterá seu nome como o candidato ao Governo do Estado. Segundo Cassios, todas as opções possíveis estão sendo analisadas e nada foi decidido ainda, podendo Joaquim Rocha ser substituído por outro candidato. (Matéria atualizada às 08h09)