Cultura

Foto: Divulgação

A edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda-feira, 1º de setembro, traz a publicação do ato de nomeação do historiador e presidente do Conselho Estadual de Cultura, Marcelo Lopes, como diretor de Arte e Cultura da Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc). Lopes é servidor efetivo do governo do Estado há 14 anos e agora, como diretor, substitui o músico e compositor Toninho Borges, que entregou o cargo por não conseguir conciliar sua agenda profissional com os compromissos de gestor à frente da diretoria.

“A cultura precisa de continuar seu processo e como já temos experiência nesta área, pretendemos dar seguimento ao que já estava planejado. Um dos nossos focos de trabalho será a reestruturação do Conselho Estadual de Cultura, a continuidade das ações para a elaboração do plano estadual de cultura e a implantação do Sistema Estadual de Cultura. O objetivo é desenvolver um trabalho para termos uma política pública na área cultural que atenda a classe artística e a sociedade em geral”, disse Lopes, que já atuou como gestor público na área de patrimônio cultural por seis anos. Além de presidente do Conselho Estadual de Cultura, há cerca de seis meses ele integra a equipe de trabalho da Diretoria de Arte e Cultura.

Marcelo Lopes esteve à frente da Comissão de Articulação e Organização do Plano Estadual de Cultura (CPEC) que na última quinta-feira, 28, realizou em Palmas uma capacitação para gestores municipais com o objetivo de inteirar secretários, diretores e administradores culturais sobre a realização das pré-conferências municipais ou intermunicipais de cultura, que serão as norteadoras para a IV Conferência Estadual de Cultura. “Em especial neste trabalho à frente da Comissão Marcelo Lopes demonstrou grande capacidade de articulação e mobilização. E isso, somado ao conhecimento da área de atuação, fez com que reconhecêssemos nele o perfil de gestor”, disse a secretária Adriana Aguiar. Ainda segundo ela, a nomeação de um servidor efetivo que já estava na Diretoria de Arte e Cultura demonstra valorização e confiança na capacidade técnica dos servidores públicos de carreira.

Perfil

Marcelo Lopes Justino é formado em História, tem mestrado em Desenvolvimento Regional, é pesquisador, e atualmente leciona História do Direito no Instituto de Ensino e Pesquisa Objetivo (IEPO). É professor concursado da educação Básica há 14 anos. Na área cultural, assumiu a função de gerente de Patrimônio Cultural do Município de Palmas de 2008 a 2014, atualmente é presidente do Conselho Estadual de Cultura e técnico da Diretoria de Arte e Cultura. (Ascom Seduc)