Ciência & Tecnologia

Foto: Imagem ilustrativa/ Da web

O último domingo (31) foi marcado por uma polêmica na web após a exposição de supostas fotos íntimas de celebridades internacionais. A atriz Jennifer Lawrence tornou-se uma das principais vítimas de um “cracker”, pessoa que invade sistemas online, após ter suas fotos roubadas de um dispositivo de armazenamento virtual (ou na nuvem), chamado Icloud, da empresa Apple.

De acordo com fóruns especializados em tecnologia, ela e outras atrizes que tiveram as fotos roubadas sincronizavam fotos particulares feitas com o celular a partir do Icloud. Contudo, o cracker encontrou uma falha no sistema e conseguiu descobrir a senha de acesso aos dados dos usuários. O erro já foi corrigido pela Apple, mas levanta o debate sobre os cuidados necessários para quem não quer ter sua privacidade invadida.

Como proteger as fotos do meu celular?

O programa Ponto Com Ponto BR discutiu o tema  e listou alguns caminhos para diminuir os riscos. O primeiro passo é saber que nenhuma tecnologia, mesmo que seja bastante confiável, não é 100% imune a falhas de segurança. Por isso, é preciso escolher bem quando deixar uma foto ou não na rede, mesmo que seja apenas com o objetivo de armazenamento.

Da mesma forma, o cuidado deve ser estendido a senhas, dados bancários etc.

Aplicativos que enviam fotos para a nuvem

A partir da convergência de mídias, é comum encontrar aplicativos para PCs ou smartphones que permitem sincronizar o seus arquivos em diferentes lugares. Para evitar o envio automático de fotos feitas do celular, por exemplo, é necessário acessar  as configurações dessas ferramentas e desativar a opção de sincronizar ou enviar arquivos automaticamente.

Abaixo, é possível encontrar uma lista de aplicativos que oferecem o envio automático e que podem ser desativados manualmente.

Facebook: pode armazenar na mídia social as fotos feitas no celular e de forma privada;

Google Plus: substitui a função de armazenamento do Picasa, permitindo subir fotos à rede social para compartilhamento posterior;

Google Drive: é uma pasta virtual de armazenamento que pode salvar arquivos de edição de texto online, fotos, vídeos e o que mais for escolhido;

Dropbox: parecido com o Google Drive, é um dos aplicativos mais famosos e responsável por armazenar arquivos diversos na internet. Nos celulares, a ferramenta oferece o envio automático de fotos assim que é instalado. Caso esteja ativado, ele envia as fotos recém-tiradas pelo Wi-fi ou 3G (dependendo da configuração);

OneDrive: assim com Google Drive e Dropbox, trata-se da versão da Microsoft para armazenamento na nuvem.

Caso sua opção seja manter alguns arquivos pessoais na nuvem por comodidade, uma saída interessante pode ser o uso de aplicativos que que realizam criptografia. Nesse processo, o usuário instala algum aplicativo capaz de embaralhar as informações para só então salvá-lo no serviço de armazenamento online. Porém, o processo é mais trabalhoso, pois o usuário precisa desembaralhar os arquivos com a mesma ferramenta quando quiser visualizar os dados. Normalmente, as ferramentas exigem a inserção de uma senha de segurança para poder exibir o material.

Punições na web

A atriz Jennifer Lawrence anunciou que irá processar todos que compartilharem as fotos roubadas. No Brasil, a artista Carolina Dickemann também teve fotos íntimas roubadas de seu computador pessoal e que foram divulgadas na web. O caso contribuiu para acelerar mudanças no Códido Penal Brasileiro, que passou a tipificar os chamados crimes informáticos a partir da lei 12.735/2012, apelidade de lei Carolina Dickemann.

O que é uma Nuvem

Na internet, há servidores que oferecem armazenamento gratuito ou pago de arquivos que podem ser acessados de qualquer ponto de conexão. Nesses espaços, você pode salvar todo tipo de informação como músicas, documentos, vídeos etc, que pode ser resgatado a qualquer momento por meio de dispositivos móveis e outras tecnologias de informática. (EBC)

Por: Redação

Tags: Agência Brasil