Cultura

Foto: Valério Zelaya

A Prefeitura de Palmas celebrou na segunda, 08, o dia de Nossa Senhora da Natividade, a padroeira do Estado, com o show de Rosa de Saron no setor Jardim Taquari, onde reuniu um público de vários segmentos religiosos, o que faz com  que a cidade se firme como a  Capital da Fé.

Para o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, o Município, além de oferecer Educação, Saúde, Esporte e Cultura, tem o dever também de estar junto com as instituições religiosas dando apoio nas ações que visam à formação espiritual e socialização, principalmente de crianças e jovens. “É o que temos dito, o jovem, que está na escola, no trabalho, no esporte, na igreja, estará longe das drogas é tudo isso que nós queremos. Que a nossa juventude tenha opção de convivência sadia e que a Igreja e as instituições de cunho religioso podem ser o lugar onde eles se encontram e desenvolvam as habilidades. E que as igrejas sejam grandes parceiras da Prefeitura na prevenção”, disse.

Ainda segundo o Prefeito, esse tipo de ato é muito importante para manter o jovem mais próximo, e, sem dúvida, os eventos religiosos e de louvor são fundamentais para colocar o jovem no bom caminho. “E foi o que ocorreu no Show de Rosa de Sharon no Jardim Taquari, o palco da festa foi montado na avenida principal e reuniu famílias inteiras, e foi possível perceber que a maior parte do público era composta por jovens, cerca de 3 mil pessoas.

Católico e evangélico

A banda  Rosa de Saron é conhecida do grande público e não se denomina católica ou evangélica. As canções são inspiradas no ensinamento da palavra e tem tocado o coração das pessoas. “Não temos a intenção ‘marketológica’. Aquela briga de católico e evangélico já passou e quando a gente inspira respeito as pessoas também vão ter respeito. É uma troca justa, de fato tudo que a gente escreve é porque a gente acredita e a gente procura colocar um pouco do coração da gente, há sinceridade na letra e o resultado é isso que vocês estão vendo, uma legião de seguidores”, disse o vocalista Guilherme de Sá.

A banda é composta por Guilherme de Sá (voz), Eduardo Faro (guitarra), Rogério Feltrin (baixo) e Grevão (bateria). A banda Rosa de Saron surgiu em 1988 na cidade de Campinas/SP, dentro do movimento de Renovação Carismática da Igreja Católica.

Em pouco tempo, o Rosa de Saron começou a compor suas próprias músicas e a participar de festivais, sempre garantindo as primeiras colocações, levando a banda a ser conhecida na cena musical de Campinas e, em seguida, a gravar seu primeiro álbum, “Diante da Cruz”. (Secom Palmas)