Cultura

O documentário inédito 500 Os Bebês roubados pela Ditadura Argentina, de Alexandre Valenti, é um dos destaques da primeira edição do Circuito Universitário de Cinema, uma mostra de filmes sobre o período da Ditadura Civil-Militar na América Latina e suas consequências.  O longa estreia em Palmas nesta quinta-feira, dia 18, às 9h, no bloco C da Universidade Federal do Tocantins, seguido de debate com o professor de Política, Adriano Castorino e o militante Edson Dias.

O Circuito Universitário de Cinema acontece até o fim de setembro em universidades, escolas e instituições de ensino de todo o Brasil. Nesta mesma quinta, às 20h, será exibido o filme “Duas Histórias”, de Ângela Zoé. A sessão é seguida de debate com o professor Adriano Castorino e Patrícia Malves, coordenadora do projeto Memória, Verdade e Justiça no Tocantins.

O outro documentário escolhido para a mostra é “Setenta 70”, de Emília Silveira.   Todas as exibições serão seguidas de debates sobre o tema, com a participação de acadêmicos, pesquisadores, pessoas de movimentos sociais e culturais, além dos diretores ou produtores dos filmes. Serão realizadas seis sessões em cada uma das 27 Unidades da Federação e para a produção da mostra haverá um Agente Mobilizador por estado para articular as exibições, divulgar o evento e ajudar na pesquisa de debatedores.

Filme inédito

Entre os três filmes do Circuito, apenas 500 Os Bebês roubados pela Ditadura Argentina é inédito. O filme, uma coprodução Brasil e Argentina, conta a história daquelas que ficaram conhecidas como “As Avós da Praça de Maio” e a participação do grupo brasileiro Clamor na luta para localizar os bebês sequestrados ou nascidos em prisões clandestinas: os “500”.  Segundo os órgãos de defesa de direitos humanos, cerca de 500 netos foram afastados de suas famílias biológicas, em um total de 30 mil pessoas desaparecidas durante a ditadura naquele país.

Coproduzido aqui pela MPC & Associados 500 Os Bebês roubados pela Ditadura Argentina foi filmado no país portenho, e no início de 2014, no Brasil. Uma das personagens do filme é Estela de Carlotto, presidente das Avós da Praça de Maio, cujo neto, de 35 anos, acabou se ser encontrado – a notícia foi manchete nos jornais na primeira semana de agosto. Com ele, já somam-se 114 os netos encontrados.

O Circuito Universitário de Cinema é um projeto realizado pela MPC & Associados em parceria com a Petrobras.

Por: Maite Blancquaert (colaboração)

Tags: Adriano Castorino, Agenda Cultural, Circuito Universitário de Cinema, UFT