Polí­tica

Foto: Divulgação No PMDB Grupo de Marcelo saiu fortalecido No PMDB Grupo de Marcelo saiu fortalecido

O resultado das eleições deste ano cessou algumas brigas internas em alguns partidos protagonizadas pelos principais nomes de algumas legendas. Um deles foi o PMDB, legenda do governador eleito Marcelo Miranda onde dois dos adversários não foram reeleitos: Junior Coimbra para federal e José Augusto Pugliese para estadual.

Para peemedebistas ouvidos pelo Conexão Tocantins Marcelo saiu fortalecido internamente não só pela derrota dos adversários internos nas urnas mas porque elegeu ainda a esposa e ex-primeira-dama Dulce Miranda como mais votada para federal. Os problemas entre peemedebistas resultaram até em intervenção na legenda e a disputa chegou até as convenções partidárias. O ex-governador Gaguim também estava no grupo de Coimbra mas nas eleições subiu nos palanques de Marcelo.

Além do PMDB as rusgas internas do PP também devem se acentuar. O grupo do presidente regional, deputado federal Lázaro Botelho saiu fortalecido já que além de ter emplacado mais um mandato elegeu a ex-prefeita de Araguaína, Valderez Castelo Branco como a mais votada na cidade  para a Assembleia Legislativa e única parlamentar eleita do partido. Os candidatos do prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) Tiago Andrino e o presidente da Câmara de Palmas, Major Negreiros que foram candidatos a federal e estadual respectivamente, não conseguiram se eleger. Os dois tiveram votação expressiva, principalmente em Palmas, mas não conseguiram as vagas.

A briga pública entre os dois grupos  foi ferrenha antes das eleições e inclusive a direção do partido chegou a insinuar através de nota que os insatisfeitos se retirassem da legenda.

Equilíbrio no PT

O PT também teve questões internas entre candidatos. Um deles foi o ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão que conseguiu a muito custo sair candidato a estadual após rusgas internas com a direção da legenda. Ele conseguiu se eleger assim como os outros dois petistas Amália Santana e José Roberto Forzani que são mais ligados á cúpula da legenda no Estado.

Outro petista, o ex-prefeito de Palmas, Raul Filho teve a tentativa de candidatura ao Senado rejeitada pela legenda e acabou sendo um dos coordenadores da campanha do governador Sandoval Cardoso que perdeu no pleito.