Campo

Foto: Aldemar Ribeiro Este ano, o Tocantins plantou mais de 55 mil hectares de soja ao longo do período do vazio sanitário Este ano, o Tocantins plantou mais de 55 mil hectares de soja ao longo do período do vazio sanitário

Entre os poucos Estados do Brasil com autorização para plantação de soja no vazio sanitário, o Tocantins plantou 55.418, 66 hectares este ano. A colheita desse período se encerra esta semana com grande expectativa para os resultados da produção que será usada como semente na safra 2014/2015.

Além da produção de sementes, o plantio no vazio sanitário no Estado também visa definir a incidência da ferrugem asiática – doença de maior incidência nas plantações de soja. De acordo com o engenheiro agrônomo e chefe do setor de grandes culturas da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins (Adapec), Marley Camilo de Oliveira, os resultados foram positivos.

“O balanço é extremamente positivo, visto que o objetivo principal é mitigar o risco de aparecimento da ferrugem asiática e esse êxito foi alcançado com sucesso na região de Formoso do Araguaia e Lagoa da Confusão. Até o momento, foram mais de 2 mil fiscalizações, com índices baixíssimo da presença da ferrugem asiática”, ressaltou.

O plantio da soja entre 1º de julho e 30 de setembro é permitido na região de várzea, em especial nos municípios de Lagoa da Confusão, Pium, Dueré e Formoso do Araguaia. No vazio sanitário de 2013 foram plantados 42 mil hectares, que resultaram na colheita de 126 mil toneladas de soja. Este ano, com mais de 55 mil hectares, as expectativas são bem maiores, como destaca Oliveira.

“O crescimento da produção da soja é uma tendência nacional, a safra de soja tem crescido no Brasil e no Tocantins não é diferente. Aqui temos tido resultados até mais expressivos que em outras regiões do país. E como houve um crescimento na área de plantio no vazio sanitário, na nossa safra 2014/2015 também é grande a expectativa de expansão da produção”, apontou.   

Vazio sanitário

O Tocantins possui autorização para plantar soja no vazio sanitário por causa da sua localização em uma região de baixa latitude, com condições climáticas de pouca variação ao longo do ano, ou seja, os períodos chuvosos e não chuvosos são bem definidos.  Nesse período, as lavouras de soja são cultivadas com autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em uma região conhecida como Planícies Tropicais (na região de Formoso do Araguaia e Lagoa da Confusão). 

No período de 90 dias, que compreende o vazio sanitário, a Adapec realiza um intenso trabalho de fiscalização das áreas plantadas, para evitar o contágio das lavouras pela praga conhecida como ferrugem asiática da soja, causada pelo fundo Phakopsora Pachyrhizie Sydow.

Com o encerramento do período, fica liberado o plantio de soja da safra 2014/2015. Para realizar o plantio, os produtores devem procurar um Escritório da Adapec, no seu município, até 30 dias antes da semeadura, para cadastrar a área a ser plantada. (ATN)

Por: Redação

Tags: Marley Camilo de Oliveira