Saúde

Foto: Wenderson Araújo Os recursos foram viabilizados pela senadora Kátia Abreu Os recursos foram viabilizados pela senadora Kátia Abreu

O Ministério da Saúde publicou no último dia 14 de outubro as Portarias 2059 e 2260/14 determinando a autorização para serem empenhados recursos da ordem de R$ 5 milhões para o início das obras do Centro de Reabilitação e Readaptação de Araguaína e mais R$ 250  mil para a construção de uma oficina ortopédica no estabelecimento. Os recursos foram viabilizados pela senadora Kátia Abreu (PMDB) e, conforme o Ministério da Saúde, devem ser empenhados até a próxima sexta-feira, dado a regularidade das operações. Os recursos da oficina ortopédica terão, ainda, uma contrapartida de mais R$ 250 mil da Prefeitura Municipal de Araguaína. Estes recursos serão repassados do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde daquela cidade.

“Agora não há nenhuma pendência a mais para podermos iniciar as obras do CRER”, comemorou nesta segunda, 20, a senadora Kátia Abreu. Segundo ela, o CRER será uma referência na região Norte do país e vai transformar Araguaína num polo no tratamento e recuperação de pessoas com deficiência. “Com os R$ 5 milhões já é possível iniciar as obras”, salientou a parlamentar, adiantando que o centro de referência seguirá o modelo da Rede Sarah Kubitschek e será semelhante ao Centro de Readaptação e Reabilitação de Goiânia (GO), considerado um modelo no setor.

“O grande sonho da minha vida era ter um Sara Kubistchek no Tocantins”, disse a Senadora ao se referir ao hospital de acidentados de Brasília, referência em reabilitação. A Senadora conta que foi à presidente Dilma Rousseff falar do seu desejo de trazer para o Estado uma unidade de saúde como aquela e recebeu o apoio da presidente que autorizou a liberação de recursos para a construção de um Centro de Reabilitação e Readaptação nos moldes do CRER Dr. Henrique Santillo, de Goiânia.

O Centro de Reabilitação e Readaptação de Araguaína (CRER) terá capacidade para atender 1.200 pessoas por dia. Contará com 50 apartamentos com duas camas cada, seis centros cirúrgicos, 20 leitos de UTI, 38 consultórios, laboratórios para exames clínicos, salas de fisioterapia, ginásio poliesportivo e oficina ortopédica. A obra orçada em R$ 65 milhões será referência para a região Norte do Brasil.