Polí­tica

Foto: Montagem Conexão Tocantins/ Imagens Clayton Cristus e AL

O deputado estadual José Roberto Forzani (PT) iniciou o debate da semana na Assembleia legislativa sobre a eleição presidencial. Há cinco dias do pleito ele disse que “está bem cristalizado os dois projetos que temos do nosso país”, disse. Dos 24 deputados estaduais, maioria apoia Aécio Neves.

Pelo menos 12 deputados já declararam apoio a Aécio e sete para Dilma. Luana Ribeiro do PR e Solange Duailie ex-PT e atual SD ainda não se manifestaram sobre apoio aos presidenciáveis.

José Roberto disse que o atual governo olha para os menos favorecidos. Ele chegou a dizer que a mídia é maior adversária do PT. “Não acredito na pesquisa no Data falha porque tenho certeza que na mente e no coração do povo brasileiro a vantagem de Dilma é muito maior”, disse

O parlamentar criticou o Aécio e disse que ele vai ganhar o prêmio de mentiroso profissional. “É um nepotismo, uma falta de caráter ele ir para a televisão falar em meritocracia e sua família toda empregada lá em Minas. Só o abominável homem das neves e a Branca de Neve não estão empregados porque o resto todos estão”, disse.

O deputado estadual Toinho Andrade (PSD) também falou na tribuna onde declarou seu apoio à Dilma Rousseff, agradeceu os votos que teve na eleição e disse que o novo governo tem o compromisso de articular recursos para construção das grandes obras de infraestrutura criando a base para atração dos novo recursos. “Quero participar, contribuir e cumprir a missão pela qual o povo do Tocantins me trouxe até aqui”, disse.

A deputada do PT, Amalia Santana convocou todas as lideranças e principalmente os prefeitos do Estado a apoiarem Dilma, “ Faço o convite a todos que venha participar conosco. Venha ajudar nossa presidente, estamos muito convictos de domingo ter uma vitória esmagadora mas não estamos com vaidades estamos trabalhando com muita humildade”, frisou.

Aecistas

Wanderlei Barbosa (SD) aproveitou a discussão para declarar seu apoio a Aécio Neves. “Estou votando no Aécio, na mudança pelo Brasil. O que ele fez por Minas Gerais ele vai fazer mais pelo Brasil”, disse. Eli Borges do Pros também reafirmou sua posição favorável a Aécio porém ponderou que não faz parte da ala que apoia Aecio ligada ao governo do Tocantins. Segundo ele, que sempre apoiou o PT, é hora de fazer a alternância do poder.

Stalin Bucar também opinou na discussão: “A gente percebe que essa administração do PT já está cansada, saturada”, frisou. Segundo ele essa é a oportunidade do brasileiro experimentar o novo onde a corrupção não seja a marca do governo. “ Infelizmente a marca do governo PT é a corrupção que está estampada em todos os empréstimos nacionais e internacionais. Mais quatro anos agüentando uma situação dessa natureza é penalizar por demais os brasileiros. Admitimos que houve um avanço com relação à inclusão social mas não é o suficiente”, disse.

Também na tribuna o deputado Sargento Aragão (Pros) voltou a justificar seu apoio a Aécio. “A ferrovia Norte Sul está pronta deputado? Está rodando? Então o senhor está andado em outro Estado e não no Tocantins”, frisou ao citar algumas grandes obras do governo federal que não estariam prontas. “ Não deram contra de concluir estou falando de algo real”, frisou.

Ele deu algumas indiretas e disse que teve parlamentar que só apareceu adesivado de Dilma Rousseff após a pesquisa Data Folha que mostrou a petista numericamente na frente.

O debate esquentou e Aragão e José Roberto Forzani trocaram farpas após o petista dizer que quem apoia Dilma é os pobres e os ricos apóiam Aécio. “temos que acabar com esse apartheid”, rebateu Aragão.