Estado

Foto: Divulgação

Para suprir a necessidade das análises genéticas em ações judiciais e acordos extrajudiciais, a Defensoria Pública do Estado do Tocantins, realizará mutirões de DNA para garantir à população carente o acesso aos direitos. Os mutirões acontecerão a partir deste mês de novembro, dia 3 em Guaraí e dia 28 em Porto Nacional; já em Tocantinópolis, será dia 5 de dezembro.

A ação visa elucidar os casos de investigação de filiação, de maneira confiável para as partes envolvidas, garantindo o acesso gratuito aos exames de DNA, desta forma, sem comprometer a renda das pessoas hipossuficientes que buscam os serviços da DPE-TO. Nos laboratórios, o custo do exame é de cerca de R$ 450,00. 

Os interessados deverão comparecer nas comarcas de Guaraí, Porto Nacional e Tocantinópolis para agendar a realização dos testes antecipadamente. No dia do atendimento é imprescindível a presença espontânea das partes interessadas – supostos genitores e filhos, estes últimos devem portar Certidão de Nascimento. Todos os envolvidos deverão comparecer com os documentos pessoais. A maioria dos casos é de investigação de paternidade, por isto é necessário o endereço do suposto pai.

Guaraí

A primeira cidade a promover o Mutirão será Guaraí, no qual serão disponibilizados gratuitamente 40 testes trios para investigação de filiação, na segunda-feira, 3, das 8h às 17h.

Durante o Mutirão, os assistidos que estiverem certos da paternidade poderão realizar um acordo em qual serão definidas pensão alimentícia, guarda dos filhos e visitas. A conciliação tem como objetivo principal o acordo sem precisar o ajuizamento de ação; assim, o processo não chega às mãos do juiz para decisão e, sim, somente para homologação. O acordo é um compromisso com o mesmo valor de uma sentença do juiz.

Segundo o diretor Regional da Defensoria Pública em Guaraí, Leonardo Oliveira Coelho, a ação busca promover a aproximação de filhos e pais, de modo a evitar os transtornos e estigmas que a descoberta da filiação tardia pode ocasionar. “Nós acreditamos que o reconhecimento da paternidade é importante para a formação completa da personalidade. O conhecimento do pai evita problemas de preconceito e auxilia, até mesmo, em tratamentos de saúde”, observou.

Os resultados dos exames deverão ser disponibilizados aos Assistidos em até 45 dias após a coleta do material genético, na sede da Defensoria Pública.