Economia

Foto: Divulgação

O reajuste de 3% no preço da gasolina  e 5% no do diesel, anunciado na noite desta quinta-feira, 06, pela Petrobras, começa a valer a partir do final de semana e até a segunda-feira, 10, quando os postos de gasolina começarem a demandar o produto com o preço reajustado nas refinarias, é que o novo valor deve chegar ao consumidor. Para quem usa o carro como meio de transporte diário, o aumento no preço do combustível responderá por um gasto maior no final do mês.

O presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Estado do Tocantins, Eduardo Rodrigues Pereira afirmou ao Conexão Tocantins que o impacto no Estado não deve ser grande. “Não vai ter tanto reflexo” frisou. Ele disse que a média do aumento deve ser de seis centavos por litro. Na avaliação do presidente, entretanto, o aumento é ruim não só para o Estado bem como para o País. “Faz com que o consumidor consuma menos”, avaliou. A média do preço da gasolina em Palmas, uma das mais caras do Brasil, é de R$ 3,10, porém há postos que passam de R$ 3,15 o litro.

Alguns revendedores afirmam que o  preço da bomba é fixado de forma livre pelos postos, levando-se em consideração os reajustes repassados pelas distribuidoras de combustíveis.

Pesquisa

A pesquisa do Corecon mostra que Palmas tem a segunda gasolina mais cara do país.Os números levantados pelo Conselho foram encaminhados para o Ministério Público Eleitoral que investiga a possível formação de cartel na capital em razão dos preços mais altos do que em cidades vizinhas como Porto Nacional onde o litro da gasolina custa 0,30 centavos a menos que na capital. O Sindiposto discordou da pesquisa e questionou os números apresentados.