Palmas

Foto: Valério Zelaya

O prefeito da Capital, Carlos Amastha, esteve nesta sexta-feira, 14, pela manhã, acompanhando in loco os atendimentos do projeto Resolve Taquari e conversando com os populares. “Nosso papel como gestor é estar sempre perto da comunidade e por estarmos tão próximos nós conhecemos mais as demandas sociais, e nos tornamos conscientes do que somos capazes de solucionar,  resolver pendências junto com os contribuintes e tomar decisões que beneficiem a todos”, disse Amastha.

Como previsto, o encerramento acontece na tarde desta sexta-feira, 14, e o projeto Resolve Taquari deve superar as metas de atendimentos. O trabalho conjunto envolveu vários órgãos municipais como as secretarias  de Finanças, de Desenvolvimento Urbano Sustentável, de Governo e Relações Institucionais, de Desenvolvimento Econômico e Emprego e de Integração Social e Defesa do Consumidor, e a Procuradoria Geral. O balanço das atividades realizadas deve ser divulgado na próxima segunda-feira, 17.

Durante esse período, as ações tiveram como foco solucionar pendências, o que proporcionou aos contribuintes palmenses do setor Taquari a oportunidade de regularização da situação cadastral de terreno e edificações, regularização fundiária, abertura de alvará de funcionamento, solicitação do IPTU Social, revisão cadastral e emissão de guias e outros serviços tais como: assessoramento sobre os a reunião de documentos para entrada em aposentadoria,  consulta jurídica relacionada a pendências tributárias e dívidas.

E foi o que ocorreu durante esta semana quando houve um número expressivo de pessoas que procuraram por atendimentos tendo a coordenação e gestão da Secretaria Municipal de Integração Social e Defesa do Consumidor, segundo o titular da Pasta, Thiago Andrino.  “Estas ações fazem parte de uma missão de integração social, além de aproximar a gestão da sociedade.  Tivemos uma receptividade muito grande aqui no Taquari, resolvemos problemas em benefícios para a própria sociedade, para que os moradores possam desenvolver suas atividades, de forma mais tranquila”, declarou Andrino.

Rosângela Pereira dos Santos Silva foi uma das centenas de pessoas atendidas pelo “Resolve Taquari”, depois de 8 anos trabalhando como autônoma pode agora ter uma atividade reconhecida como microempreendedora ao dar entrada à abertura de um empresa comercial. “Percebi neste projeto a oportunidade para a abertura do próprio negócio, quero contribuir com o pagamento de impostos e ter outras oportunidades para crescer através do meu esforço”, disse Rosângela. (Secom Palmas)

Por: Redação

Tags: Carlos Amastha, Taquari