Estado

Foto: Divulgação

A Semana Nacional da Conciliação no Tocantins encerrou nesta sexta-feira após cinco dias de intensa mobilização  na busca pela Paz Social. Ao todo 28 comarcas do Poder Judiciário realizaram mais de 3 mil audiências de conciliação entre os dias 24 e 28/11. A ação contou com o empenho de magistrados, servidores e mais de 120 voluntários. O saldo definitivo das conciliações no Estado deve ser divulgado na próxima semana.

O coordenador estadual do Movimento pela Conciliação, juiz Gilson Coelho Valadares afirma que espera números relevantes, uma vez que a cultura dos acordos já está sendo implantada no Estado. “Desde que a Semana da Conciliação foi instituída pelo Conselho Nacional de Justiça em 2006, tem havido um aumento gradativo no número de acordos homologados em todo o país, e aqui Tocantins não é diferente”.

Além disso o magistrado ressaltou a atuação dos juízes que promovem mutirões de conciliação durante todo o ano. “Queremos agradecer a atuação dos juízes do Tocantins que fazem conciliação o ano todo em suas comarcas, porque isso reduz o tempo de espera dos processos e traz celeridade aos jurisdicionados. Estamos conseguindo convencer a população de que conciliar é o melhor caminho”.

Na Comarca de Palmas, foram designadas 1.019 audiências para a Semana Nacional da Conciliação. Nos últimos dois dias (27 e 28/11) a maioria foi específica de Dpvat. Muitos participantes saíram satisfeitos, como Fábio Júnior Rodrigues, que aguardava há mais de um ano decisão da Justiça. “Há um ano eu esperava pelo desenrolar desse processo e agora veio a conciliação. Estou muito satisfeito como resultado”.

A advogada Rita de Cássia Azedo, na ocasião representando uma seguradora, afirmou que a empresa entrou no evento com 300 audiências e obteve acordo em 71% delas. “Eventos como esse são importantes porque auxiliam a parte autora e também a seguradora porque reduz o tempo de espera e os gastos. No final é muito vantajoso”, ressaltou.

O coordenador da Central de Conciliação da Comarca de Palmas, juiz Nelson Coelho Filho, avalia positivamente a ação. “Encerrando o evento na Capital e pela movimentação que vimos no Fórum, as expectativas são as melhores. Acreditamos que evoluímos com relação ao ano passado”.

Parceria UMA 

Uma das novidades desta edição da Semana Nacional da Conciliação foi a participação dos alunos da Universidade da Maturidade (UMA), resultado da parceria do Tribunal de Justiça com a Universidade Federal do Tocantins. No total 10 idosos atuaram dentro do evento e prestaram serviços que agradaram a todos.

O senhor Manoel Salustiano, aluno da UMA, avaliou de maneira positiva as atividades desenvolvidas. “Fomos convidados a participar e prestamos o serviço com grande satisfação. Desenvolvemos bem as tarefas que nos foram confiadas, estamos gratos pela oportunidade e esperamos ser chamados para esse evento no ano que vem novamente”, afirmou.

Dona Stela Botelho, que também é aluna da UMA, disse estar muito satisfeita com a experiência adquirida durante o evento. “Essa semana foi de grande importância para mim. Atuar em uma ação como essa não tem preço. Os aprendizados foram tantos que decidi que em 2015 vou fazer o curso de Direito”, afirmou com determinação.

Quem trabalhou no evento ao lado dos alunos da UMA também achou a ação de grande valia. “Achei muito interessante essa iniciativa porque permitiu a integração e inserção dos idosos e aumentou a auto estima deles. Eles são prestativos nos trabalhos e já ganharam o nosso carinho e admiração. Parabenizo o TJ pelo projeto”, afirmou Rayka Oliveira Valadares, conciliadora.

Comarcas do Interior

As demais comarcas no interior do Estado também acompanharam as atividades da Semana Nacional da Conciliação. Entre elas a Comarca de Miranorte, que já apresentou os resultados. O saldo foi de 165 audiências realizadas, 66 acordos homologados e um total de 74 mil reais em acordos.

Em Guaraí foi promovida uma semana de conciliação antecipada onde os resultados também foram satisfatórios. No total foram realizadas 144 audiências cíveis, 12 audiências criminais e mais de 397 pessoas atendidas. Ao final da ação foram homologados 41 acordos.(Ascom TJ)