Polí­cia

Foto: Clayton Cristus

Após a votação das Medidas Provisórias da Polícia Militar o deputado José Bonifácio (PR) que votou contra, disse que o tocantinense não tem o direito de viver igual os brasileiros porque estão morrendo nos corredores dos hospitais nas faltas de máquinas de radioterapia nas faltas de cirurgia, nas faltas de medicamento, faltas de hospitais, falta de saúde.

Segundo ele, no Estado não se pagam os profissionais da Saúde de nenhuma especialidade. “Nossa expectativa de vida diminui com relação aos brasileiro há medidas que as pessoas morrem mais jovens por falta de atendimento ou atendimento inadequado”, frisou.

O parlamentar frisou que é possível fazer com que o Estado consiga ter apenas o fraco desempenho que o Brasil tem. “Nós deputados, nós parlamentares junto com a sociedade e todas as forças desse Estado teremos que ter a responsabilidade de cada um dentro das limitações contribuir para que o Estado tenha pelo menos o desenvolvimento do fraco Brasil”, disse.

Bonifácio criticou ainda o fato do presidente ter avocado as matérias que estavam em tramitação para colocar na pauta em regime de urgência. “Baixou o espírito do avocatório do presidente, está avocando um monte de coisas, nós deputados que não fazemos parte da bancada do governo temos que boicotar essas votações”, sugeriu.

O deputado Wanderlei Barbosa, líder do governo, foi à tribuna agradecer todos os deputados que participaram da votação. Segundo ele foi uma correção histórica. “O governador Sandoval Cardoso não está fazendo nada de diferente, espero que o novo governo continue abraçando a causa do servidor”, disse sendo aplaudido pelos militares presentes.

O deputado que defende a categoria, Sargento Aragão (Pros) agradeceu o governador Sandoval pela matéria encaminhada e pela progressão do Corpo de Bombeiros. Ele foi exaustivamente aplaudido pelos presentes.

A deputada Josi Nunes (PMDB) disse que uma das marcas da gestão de Marcelo Miranda (PMDB) é a valorização do servidor. “Grandes conquistas dos servidores nessa Casa foram feitas pelo governador Marcelo Miranda”, disse. Com relação à PM ela disse que é preciso reparar as injustiças.

Amália Santana do PT, também da oposição, disse que os militares estavam injustiçados. “Devemos isso a ele, é uma bandeira que temos que levantar nessa Casa”, disse.

Já Luana Ribeiro (PR) foi à tribuna agradecer o governador Sandoval Cardoso (SD) a conquista.

Jorge Frederico chegou a dizer que a polícia do Tocantins não é corrupta, é honesta e não recebe propina. “Não é presente a ninguém, é apenas reconhecendo o que a Polícia Militar merece”, disse.

Eli Borges (Pros) propôs que haja uma convergência funcional por parte do próximo governo com relação ás categorias de servidores.