Polí­tica

Foto: Divulgação

Mais de quatro mil assinaturas foram protocoladas no Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins pedindo a recriação do Partido Liberal – PL. A meta de assinaturas no Estado foi atingida e falta agora a conclusão do exigido nacionalmente para que nasça mais um novo partido. O PL é comandado nacionalmente pelo ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab que já chegou a criar também o PSD, que provocou um esvaziamento no Democratas.

O partido atingiu pouco mais de 400 mil assinaturas ao todo à nível nacional e espera que até fevereiro consiga as 100 mil que faltam para conseguir a criação no TSE. São necessárias mais de 500 mil assinaturas em pelo menos nove estados.

No Tocantins as movimentações tem à frente o empresário Diogo Fernandes, atualmente filiado ao PSD. Fernandes concorreu ao pleito deste ano à uma vaga de deputado estadual porém não teve êxito.

“Já atingimos o mínimo de assinaturas aqui no Estado e já registramos do TRE. O PL é um partido que já vai nascer forte”, disse Fernandes em entrevista ao Conexão Tocantins. A nova legenda deve receber, segundo Fernandes, novos líderes políticos que queiram disputar as eleições municipais de 2016. “É um partido que vai agregar lideranças novas e que vai fazer um bem à saúde da democracia do nosso Tocantins”, frisou.

Questionado se há mandatários de outras legendas que já manifestaram interesse em ingressar na nova legenda o empresário afirmou que esse é o caminho nacional à medida que a legenda vai conseguindo o registro. Fernandes chegou a afirmar que o partido é antigo de nome e novo de personagens. Ele participou mês passado das articulações em Brasília para criação da legenda representando o Tocantins.

O PL existiu até 2006 quando se fundiu com o Prona do ex-deputado Eneas Carneiro. Se criada a legenda será a 33ª do País.

Assim como aconteceu com o PSD e também com o recente Solidariedade o PL deve receber vários insatisfeitos com outras legendas.