Polí­tica

Foto: Divulgação

O governador Marcelo Miranda (PMDB) empossou na tarde desta sexta-feira, 02, mais de 40 membros do Executivo durante cerimônia no Palácio Araguaia.

A cerimônia contou com a participação de presidentes de entidades, conselhos e até da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Tocantins. O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos, Cleiton Pinheiro também participou do ato.

Em seu discurso Marcelo afirmou que a primeira reunião com o secretariado será ainda hoje. “Deixei esta Casa exatamente no dia 9 de setembro de 2009. Ao entrar aqui novamente hoje, entrei pela porta da frente como entrei em 2002, como entrei em 2006 e saí pela porta da frente. Estou aqui novamente. O quatro é este, os líderes aumentaram, a sociedade passou a entender o motivo que nós queríamos e lutamos tando pela mudança”, relembrou.

O governador disse que seu sentimento é de um homem realizado. Marcelo afirmou que o peemedebista Derval de Paiva foi um dos responsáveis pela vitória nas urnas e fez questão de cumprimentar e elogiar cada um dos oito deputados estaduais da sua base presentes.

O governador assinou ainda as primeiras medidas provisórias de sua gestão. A primeira delas trata da reorganização da estrutura do Estado. “Conseguimos diminuir praticamente 50% das secretarias de 35 para 17”, disse sobre as pastas. Segundo Marcelo, neste primeiro ano do governo a marca será enxugamento. “Que as pessoas possam entender que esse primeiro momento será de enxugamento da máquina. Nossa volta ao governo foi pensando no melhor e posso dizer aos senhores que vamos ter nesse primeiro ano uma economia financeira de mais ou menos R$ 40 milhões”, disse.

O governador disse que não vai pagar mais o preço que pagou durante todos os anos. “ Quem cometer os crimes vai pagar, quem cometeu os erros vai pagar”, frisou.

Marcelo disse que vai cobrar resultados dos secretários. “Vamos trabalhar a meritocracia. É um ano de contrato. Se não der conta de cumprir as metas, é não e muito obrigado”, disse. O peemedebista ainda elogiou o novo secretário da Educação e disse que a área vai mudar de semblante sob o comando de Adão.

Sobre a Segurança Pública, o governador disse que os desafios são muitos. “Ontem se eu tivesse vindo aqui não teria nenhum carro para me deslocar. Porque? Por falta de gestão, falta de compromisso e recolheram os carros. No nosso governo a Segurança Pública vai voltar a ser Segurança pública nesse Estado”, disse.

Marcelo falou também sobre as medidas emergenciais na área da Saúde. Marcelo afirmou que foi deixado um débito de R$ 56 milhões somente com a empresa Litucera e uma multa de R$ 15 milhões junto à Secretaria da Receita Federal por falta de pagamento dos plantões dos médicos. “Temos que restabelecer tudo isso principalmente a renegociação das dívidas”, frisou.

O governador disse aos companheiros que onde puder ajudá-los vai ajudar. “Esse comitê, essa comissão de análise de pessoal é mais uma prova que queremos resgatar quem é nosso. Saber quem é quem. Não podemos ficar da forma como está. Queremos recuperar a autoestima do nosso servidor público mas da forma como está sendo conduzida é ruim para o Estado. Queremos saber quem é quem”, disse Marcelo ao recomendar que os secretários não se calem e falem sobre as situações do Estado.

Orçamento

Marcelo Miranda frisou ainda que encaminhará outra medida provisória para conseguir trabalhar com o orçamento de 2014 até que o deste ano seja aprovado. “Peço à Assembleia que mais uma vez nos ajude porque senão nossos compromissos que vou procurar sanar não poderão ser sanados. Vou comandar a duras penas mas vou comandar pensando no Tocantins”, frisou.