Polí­tica

Foto: Divulgação Leonardo Cintra, atual presidente da ATM Leonardo Cintra, atual presidente da ATM

A eleição da Associação Tocantinense de Municípios – ATM deste ano segue sem polarização política. Já colocaram os nomes o atual presidente, prefeito de Almas, Leonardo Cintra (PSDB), o prefeito de Taipas, Joaquim Carlos e de Brasilândia, João Emídio. A inscrição da chapa deve ser feita até esta quarta-feira, 14, e a eleição ocorre dia 26.

Da base do atual governo nenhum prefeito manifestou interesse ainda. O prefeito da capital, Carlos Amastha (PP) também disse em entrevista ao Conexão Tocantins que não pretende colocar o nome na disputa. “Não pretendo interferir mas estou á disposição da ATM para colaborar”, frisou. O gestor disse que o ideal seria que a entidade tivesse á frente o prefeito de um município pequeno. “Tem que ser município pequeno que sentem na pele as dificuldades dos prefeitos”, opinou.

Em entrevista ao Conexão Tocantins Cintra disse que quer mais um mandato de presidente para “buscar a luta dos municípios cada vez mais”. Ele frisou que quer continuar atuando nas pendências estaduais mais próximas dos municípios.

Questionado se será oposição ao atual governo do Estado ele ponderou: “sou a favor dos gestores independente de quem seja, a política passou", afirmou. Ele se reuniu hoje com os titulares das pastas de Saúde e Educação do Estado para negociar os repasses atrasados deixados pela gestão anterior. “O Sandoval faltou aos municípios”, criticou sobre a falta dos repasses.

Cintra disse que sente boa vontade do governo em resolver os problemas e que se for reeleito não vai fazer gestão voltado para o lado partidário.

Um dos principais prefeitos ligados ao governo, José Santana Neto de Colinas afirmou ao Conexão Tocantins que não houve nenhuma articulação da parte do Palácio Araguaia para que apresentasse um nome ligado á base. “Esta disputa da ATM é histórica, os prefeitos disputam em razão da corrente política. Quero ver a ATM mais combativa com capacidade de interagir com os governos. O Palácio não fez articulação e ninguém puxou essa articulação nem nós mesmos os prefeitos”, disse.

Santana fez ainda uma crítica á entidade. “A ATM deixou de fazer o trabalho municipalista no mandato anterior, foi combativo com a Dilma mas não foi com o governo do Estado", disse se referindo ao posicionamento do presidente da entidade, Cintra, nas eleições do ano passado. Ele organizou um movimento de gestores contra a presidente Dilma e à nível estadual apoiou o então governador Sandoval Cardoso (SD).

Para o prefeito de Colinas o ideal é uma chapa miscigenada com interesses políticos diversos. Ele disse que a ATM precisa dialogar com o governo e entrar em entendimento para receber os recursos que não foram repassados pela gestão anterior.

Avelino não

O prefeito do PMDB, Moises Avelino também disse ao Conexão Tocantins que não vai disputar e frisou que ainda está analisando quem vai apoiar. “A eleição já está encima não temos como analisar outro nome agora”, afirmou. Ele era o nome defendido por alguns do governo para comandar a entidade.