Polí­tica

Foto: Divulgação

Ainda faltam dois anos mas já começam as movimentações partidárias para as eleições municipais. Em Palmas os partidos começam a preparar nomes e perfis para a disputa da prefeitura em 2016 e os primeiros postulantes já começam a se movimentar.

O nome mais interessado e que tem reafirmado sua intenção é o deputado estadual Sargento Aragão que vai assumir o comando do PMN no Estado. “Só não serei candidato se Deus não quiser”, afirmou nesta quinta-feira, 15. Pelo menos cinco nomes são os mais citados para a disputa.

Além de Aragão outros nomes são citados como interessados na disputa, como por exemplo o deputado estadual e presidente do PV, Marcelo Lelis.  “Minha ligação com Palmas é algo que faz parte do meu DNA, minha vida toda profissional e política foi feita com base na capital, portanto, minha ligação com Palmas é muito grande mas faço parte do grupo do governador Marcelo Miranda (PMDB) e uma candidatura majoritária depende da construção do grupo e de uma decisão coletiva”, frisou ao Conexão Tocantins ao ser questionado sobre o assunto.

O deputado encerra o mandato neste mês e depois vai se dedicar ao fortalecimento do PV pelo Estado. “Vou me dedicar exclusivamente ao fortalecimento do PV no Estado todo”, frisou. Lelis não vai assumir nenhum cargo no atual governo que tem como vice, sua esposa Claudia Lelis. “O PV está muito bem representando no governo, estou absolutamente apto a ocupar qualquer cargo mas preferi ficar de fora porém à disposição para ajudar o governo”, disse.

Raul procura partido

O ex-prefeito de Palmas, Raul Filho (sem partido) deixou os quadros do PT e também já está de olho na Prefeitura de Palmas. Ele disse ao Conexão Tocantins que pretende disputar o Paço novamente em 2016. “Estarei com toda vontade de disputar”, frisou. Ele procura agora uma legenda para se acomodar e construir as condições reais para ser candidato.

Iratã cogitado

O vereador da oposição, Iratã Abreu (PSD) é outro nome citado nos bastidores. Filho da senadora licenciada e ministra da Agricultura, Katia Abreu (PMDB) e principal nome da oposição à atual gestão do prefeito Carlos Amastha (PP), Iratã tem intensificado sua atuação política na capital, mas disse que ainda não analisou a possibilidade de concorrer. “Estou vereador, meu foco é cumprir meu mandato, que ainda faltam dois anos para terminar, adquirindo experiência e cumprindo meu dever. Meu partido vai discutir isso apenas em 2016”, frisou. O PSD é comandado pelo deputado federal Irajá Abreu, irmão de Iratã.

Amastha sem decisão

O prefeito da capital, Carlos Amastha (PP) afirmou que ainda não definiu se vai buscar reeleição ou não. “Isso é muito prematuro, tenho muito trabalho pela frente mas com certeza se não for (candidato) vou apoiar alguém que tenha a garantia da continuação do trabalho que estamos fazendo”, frisou.

Amastha disse que não sairá candidato se não tiver aprovação majoritária da população. “Vou participar do processo de alguma maneira e fazer o impossível para que nenhum deles seja eleito pois nenhum é qualificado”, frisou, se referindo a alguns dos candidatos citados para a disputa. Sobre Iratã Abreu, opositor do prefeito na Câmara de Palmas, ele disse que respeita o trabalho do vereador e não fez críticas.

O prefeito respondeu ainda às críticas do deputado Aragão que cobrou a construção de um Hospital de Urgência e Emergência e ainda a implantação do projeto Guarda Quarteirão, propostas de campanha de quando eram candidatos em 2012. “O companheiro se equivocou nós recuamos sobre o hospital ainda na campanha. O município não tem condições de arcar com uma estrutura desse tamanho porém estamos incentivando e motivando para que o Hospital Universitário seja uma realidade na capital”, disse.

Sobre o projeto Guarda Quarteirão, Amastha disse que tem investido muito na área. “A guarda não dá conta sozinha até porque cabe à polícia fazer a segurança”, disse.