Polí­tica

Foto: Divulgação

As articulações para a disputa da presidência e cargos da mesa diretora na Assembleia Legislativa devem se intensificar esta semana com a intermediação dos agentes políticos do governo do Estado. Uma reunião deve ocorrer com os deputados da base governista para ajudar a construir o consenso entre os parlamentares.

Silenciosa, a oposição se articula nos bastidores e o nome do atual presidente Osíres Damaso (Democratas) é o mais cogitado para a disputa e já teria larga vantagem, segundo parlamentares ouvidos pelo Conexão Tocantins. Damaso teria a preferência inclusive do ex-senador e deputado estadual eleito Eduardo Siqueira Campos (PTB).

Por outro lado a base governista tem José Bonifácio (PR), que se intitula como candidato avulso, Toinho Andrade (PSD), Paulo Mourão (PT) e ainda o peemedebista Nilton Franco. O governo vai tentar eleger um aliado na presidência, elo fundamental com o Executivo principalmente num início de governo tão conturbado em razão dos problemas deixados pela gestão anterior.

Os novatos que já declararam abertura com relação ao novo governo podem decidir a disputa. Cleiton Cardoso, Mauro Carlesse (PTB), Ricardo Ayres (PSB) e até veteranos como Amélio Cayres (PR) e Eduardo do Dertins (PPS) além de Eli Borges (Pros) já sinalizaram possibilidade de composição com o governo.

Jorge Frederico candidato

O deputado estadual Jorge Frederico (SD) afirmou ao Conexão Tocantins que já foi procurado por vários candidatos e que não tem rejeição a nenhum nome. “ Estamos conversando e posso colocar meu nome também se for de consenso, tenho amizade de ambos os lados e estou á disposição”, disse.

Para o parlamentar, a eleição da Assembleia não passa pelo governo. “Acho que isso é uma questão da Assembleia. Posso compor ou não com o governo mas acho que essa ainda não é a questão”, disse.

Disputa política

Mesmo tendo elegendo apenas oito dos 24 deputados estaduais o atual governo tem a simpatia de vários parlamentares que inclusive já compuseram governos anteriores de Marcelo Miranda o que facilita o diálogo. Siqueiristas e Sandovalistas tentam manter maioria porém o atual governo já teria o apoio de pelo menos 16 parlamentares. O próprio Eduardo Siqueira que era cotado para ser o ícone da oposição já afirmou que pretende ajudar a atual gestão no que for preciso e que não pretende fazer de seu mandato uma trincheira contra o governo.

Um dos aliados mais próximos de Sandoval, Wanderlei Barbosa (SD) também disse no discurso da posse do governador que não fará oposição radical e que colocará os interesses do Estado acima de questões políticas.