Saúde

Foto: Carlos Magno

Com a meta de reorganizar a rede estadual de saúde e sanar problemas que afetam diretamente a população, o Governo do Tocantins prioriza a normalização do atendimento, o abastecimento de medicamentos, alimentos e serviços. O pagamento de débitos, aquisição de materiais e medicamentos e contratação de médicos estão entre as ações em andamento adotadas nas primeiras semanas de governo.  

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Samuel Bonilha, a atual gestão recebeu o setor em total desorganização. “A saúde não funciona só nos hospitais, existe uma rede por trás. Ela começa no PSF [Programa Saúde da Família], no município, e vai até a mais alta complexidade hospitalar. Precisamos organizar essa rede. O PSF precisa fazer seu papel, as UPAs [Unidades de Pronto Atendimento] também. E os hospitais precisam receber todos os pacientes de urgência e emergência e ter condições de realizar cirurgias eletivas”, explicou.

Ainda de acordo com Bonilha, a atual gestão recebeu o Estado sem dinheiro e com muitas demandas. “Estamos trabalhando para que os processos sejam regularizados e que possamos adquirir medicamentos e materiais para abastecer a rede”, frisou. A primeira medida do Estado neste sentido foi o repasse de R$ 2.998 milhões para que empresa responsável pelo fornecimento de alimentos para os hospitais tocantinenses retomasse a prestação do serviço, que estava suspensa.

O secretário apontou ainda que entre as dificuldades encontradas, está uma dívida ocasionada pela falta de repasse financeiro do Estado para os municípios.  “O Estado deve hoje aproximadamente R$ 30 milhões para os municípios, com repasse de despesas de UPAs, Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência], Hospital de Pequeno Porte, assistência farmacêutica e saúde mental. Nós vamos regularizar essa situação a partir da aprovação do Orçamento”, apontou.

Abastecimento

Um dos problemas de desabastecimento que já foi resolvido neste início de Governo foi o das órteses, próteses e materiais especiais - conhecidos como OPME – que são dispositivos como placas, parafusos, hastes, fios, ganchos e fitas implantados por meio de procedimento cirúrgico. Segundo o secretário, a empresa vencedora da licitação realizada para prestação do serviço já entregou os materiais em Palmas e está fazendo a entrega em Araguaína. Com isso, os procedimentos ortopédicos já estão sendo realizados.

Samuel Bonilha informou também que já estão sendo descarregados em Palmas caminhões contendo produtos demandados inicialmente pela saúde. “O nosso foco é o usuário e queremos dar a ele a integridade da saúde, desde a prevenção até realização de grandes cirurgias. Queremos dar agilidade e resolver os problemas de cirurgias eletivas”, destacou. 

 Contratação de Médicos

Para atender a demanda de atendimento da população nos 19 hospitais do Tocantins e melhorar a atenção à saúde nos municípios, o Governo do Estado está contratando médicos de diversas especialidades para atuar na rede hospitalar. Os profissionais terão contratação imediata, com jornada de 20 a 40 horas.

Serão contratados especialistas em cirurgia de cabeça e pescoço, ortopedia, cardiologia, neurocirurgia, mastologia, pneumologia, intensivo adulto, infectologia, reumatologia, hematologia, urologia, pediatria, anatomopatologia, ginecologia, cirurgia geral, cirurgia plástica, cirurgia vascular, endoscopia, endocrinologia, nefrologia, neurologia, oftalmologia, radiologia, otorrinolaringologia, broncoscopia, ultrassonografia, psiquiatria, nutrologia, cirurgia torácica, dermatologia, cirurgia pediátrica, medicina do trabalho, neonatologia e clínica geral.

A quantidade de vagas por região será definida conforme a necessidade das unidades hospitalares.  Os profissionais interessados poderão encaminhar os currículos para o email: dae@saude.to.gov.br. (Secom -TO)