Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

Foi publicada no Diário Oficial do Estado, n° 4.299 de 19 de janeiro, a determinação da reitoria da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) para instauração de sindicância administrativa no sentido de apurar atos e fatos atinentes a realização do Concurso Público de provimento de 59 vagas para o cargo de professor universitário mestre e 28 vagas para o cargo de professor universitário da Fundação.

A Comissão que é formada por professores mestres e doutores terá acesso a toda documentação necessária à elucidação dos fatos, bem como deverá colher quaisquer depoimentos e demais provas que entender pertinentes.

A sindicância terá 30 dias para concluir seus trabalhos, a partir da data da publicação no Diário Oficial do Estado, sujeito a prorrogação em caso de necessidade. O resultado será encaminhado para todos os órgãos competentes.

Essa decisão vem após o Ministério Público Estadual (MPE) por meio da 9ª Promotoria de Justiça da Capital ingressar na justiça com uma ação civil pública pedindo a anulação do concurso público para professor mestre e doutor da Unitins, tendo como justificativa uma série de vícios formais relacionados ao edital, à realização da prova escrita, à imposição de recursos, à participação de candidatos que não constavam na lista de inscritos e à participação de candidato parente do presidente da comissão do concurso, entre outros pontos.

Os candidatos repudiaram a tentativa de anulação do concurso pelo MPE afirmando já terem investido e se dedicado ao concurso. 

Reitoria 

Na última quinta-feira, 15, a reitora Unitins, Elizângela Glória Cardoso, recebeu em seu gabinete uma comitiva formada por candidatos aprovados no concurso e mostrou disponibilidade em resolver a situação e manter o diálogo com os candidatos.