Polí­tica

Foto: Divulgação

Os deputados estaduais se articulam para a eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Tocantins que acontecerá dia 1º de fevereiro. Dentre os grupos o discurso é de que a eleição é interna e não tem a ver com posicionamento político porém nos bastidores governistas ligados ao Palácio Araguaia e ex-governistas buscam maioria de votos.

O principal nome do grupo que não é ligado ao Palácio, atual presidente Osires Damaso (Democratas) concedeu entrevista ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 22, quando afirmou que não é candidato da oposição e sim de todos os partidos. “ Estou conversando com todos os parlamentares inclusive tem os que estão mais próximos e também com os novatos. Estamos construindo um trabalho de grupo. Não sou candidato da oposição e sim suprapartidário”, frisou.

Damaso citou como suas metas fortalecer o legislativo e contribuir com a governabilidade. Ele diz ter o apoio garantido de 13 deputados estaduais. “Na reunião que fizemos essa semana reunimos 10 porque faltou o Dertins e a Luana que estavam viajando mas na segunda-feira vamos fazer uma reunião com todos”, disse.

O atual presidente busca voto inclusive dentre os governistas e chegou a afirmar que vêm conversando constantemente com o também candidato Toinho Andrade (PSD) e que pretende marcar um encontro para dialogar com Paulo Mourão, nome do PT para a disputa. “Quero construir um trabalho de consenso para conseguirmos ter os 24 unidos numa chapa só”, frisou.

Damaso chegou a afirmar ao Conexão Tocantins que está livre para  compor com o atual governo. Também são candidatos Mourão, Toinho, Nilton Franco do PMDB e ainda José Bonifácio (PR) que já prega uma série de mudanças no legislativo e já chegou a dizer que mesmo sendo aliado de Marcelo Miranda (PMDB) não é chapa branca.