Estado

Foto: Divulgação

Os moradores do município de Araguaçu, no Sudeste do Tocantins, estão sem atendimento nas agências bancárias da cidade. Assaltos no local são frequentes e a situação tem gerado transtornos, pois as atividades presenciais foram suspensas por tempo indeterminado, sem qualquer comunicado formal aos seus clientes e os moradores têm de percorrer mais de 50 km para encontrar a agência bancária mais próxima.

Devido à urgência do funcionamento dos bancos no município, a DPE-TO – Defensoria Pública do Estado do Tocantins, por meio do Nudecon - Núcleo Especializado de Defesa do Consumidor, apresentou as Recomendações 001/2015 e 002/2015, solicitando o restabelecimento dos serviços bancários nas superintendências do Banco do Brasil e Banco da Amazônia, em Araguaçu. 

A Recomendação, protocolizada na quarta-feira, 28, estabelece o prazo de 48 horas para que as superintendências informem, por meio de veículos de comunicação, quais os canais alternativos de atendimento instalados na cidade aptos a prestarem serviços de ordem bancária aos consumidores; e os contatos de SAC - Serviço de Atendimento ao Cliente e Ouvidoria, a fim de que os consumidores possam efetuar serviços de cancelamento, suspensão de contratos, reclamações e ainda tirar dúvidas ou obter informações gerais.  

Além disso, as superintendências têm o mesmo prazo para comunicar quais providências efetivas estão sendo adotadas para restabelecer a prestação dos serviços bancários em suas agências físicas no município, com um cronograma que aponte a resolução definitiva do problema em curto prazo, e ainda para comunicar à Defensoria Pública o cumprimento, ou não, da Recomendação, bem como as providências adotadas.

Entenda o caso

No último sábado (24), as duas agências bancárias no município foram alvo de assaltantes. No Banco do Brasil levaram o dinheiro dos caixas e no Banco da Amazônia os dois caixas eletrônicos foram explodidos, mas apenas um foi aberto e nele não havia dinheiro. Ninguém ficou ferido. (Ascom Defensoria)

Por: Redação

Tags: Araguaçu, Defensoria Pública, Nudecon