Polí­tica

Foto: Divulgação

A eleição da Assembleia Legislativa acontece neste domingo, 1º, após a posse dos 24 deputados estaduais da nova legislatura com promessa de manifestação por parte de centenas de pessoas que são contra o auxílio-moradia aprovado no apagar das luzes do ano passado. A disputa pelo comando do legislativo movimenta as diversas forças políticas e aproximou até o Partido Progressista –PP do governo.

O deputado Eduardo do Dertins (PPS) que era o fiel da balança do grupo dos oposicionistas, que tem como candidato o atual presidente Osíres Damaso (Democratas) já declarou apoio ao grupo do governo e com isso aumentam as chances de vitória do Palácio no pleito. As articulações são intensas e essas últimas horas que antecedem o pleito são decisivas para amarrar os votos.

O grupo do governo articula durante todo o dia para conseguir os votos que faltam, segundo informaram os agentes políticos do grupo. Já a oposição tenta não perder nenhum voto conquistado. A garantia da maioria simples de 13 pode ser fruto de uma articulação que vem sendo feita pelo PP e pelo prefeito de Palmas, Carlos Amastha. Ele disse ao Conexão Tocantins neste sábado, 31, que vai tentar ao máximo conversar com os aliados de sua base para apoiarem o governo em nome da governabilidade.

Em entrevista ao Conexão Tocantins o deputado José Bonifácio frisou que com certeza a base do governo deve chegar ao consenso em torno de um dos nomes mais antigos.  “Devemos chegar ao consenso mas é prematuro dizer que temos maioria ou não, tem gente jogando de dois lados pelo menos nas conversas que tivemos ontem olhamos todas as evidencias e parece que podemos partir para a mais pragmática”, frisou.

Bonifácio falou em um suposto aliciamento da oposição e diz acreditar numa possibilidade real de empate. Ele frisou que  a decisão do Tribunal de Contas do Estado de suspender a licitação da Assembleia para compra de Tablets e Smartphones pode sensibilizar alguns deputados a não votarem no atual presidente. “É muito dinheiro que foi gasto sem necessidade e com muita suspeita, esse dinheiro dava para comprar 40 hiluxs e construir mais de 300 casas populares”, criticou.

Os mais antigos no grupo do governo é Eli Borges (Pros), Dertins e Toinho Andrade (PSD).

Em jogo ainda nos grupos estão os outros seis cargos da mesa diretora.