Campo

Foto: Divulgação

A produção agrícola no Tocantins ganha espaço, cada vez mais, na diversificação do plantio. Neste período que se inicia a colheita da soja, acontece também o início do plantio do milho safrinha como mais uma alternativa de renda para os produtores rurais. A Região de Campos Lindos, Nordeste do Estado, é destaque desta cultura sazonal, correspondendo por 40% da produção tocantinense.  

Para o engenheiro agrônomo da Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Genebaldo Barbosa Queiroz, a produção do milho safrinha garante renda para o produtor. “A produção abastece o mercado tocantinense na alimentação de suínos, bovinos e aves, o excedente é comercializado para os estados do Norte e Nordeste”, ressaltou.

O plantio proporciona também ganhos na estrutura do solo, com a sucessão de cultura, alternando a atividade entre o plantio do milho e a soja. “Essa rotação de cultura permite melhor estruturação do solo, tornando rico em nutrientes para o plantio seguinte”, acrescentou.

Queiroz lembra que a cultura do milho safrinha ganha espaço, cada vez mais, para alimentação bovina. “A criação do gado nos sistema de confinamento e semi-confinamento, atividade em franca expansão no Estado é mais uma alternativa de geração de renda para o produtor”.

O engenheiro agrônomo ressalta ainda que a produção do milho proporciona a geração de emprego e renda, além de gerar a comercialização de máquinas e implementos. 

Safra 2014/2015

A estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para segunda safra que inicia em fevereiro é cultivar uma área de 100,9 mil hectares, alcançando uma produção de 460 mil toneladas de milho. (Ascom/Seagro)