Estado

Foto: Divulgação

A Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) tem recebido apoio dos acadêmicos da instituição para que as aulas sejam retomadas nos campi de Araguatins e Augustinópolis, ambos na região do Bico do Papagaio, e em Dianópolis, Sudeste do Estado.

A reitora Elizângela Glória Cardoso recebeu cartas assinadas pelos representantes dos acadêmicos de três campi, entre eles o de Palmas, declarando apoio a ela e ao governador Marcelo Miranda e, ainda, fazendo um apelo ao Ministério Público do Trabalho (MPT), que reconsidere prazos e a retomada imediata das aulas.

Em 2005, a Unitins assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho (MPT), que a condicionou a não contratar mais para a área administrativa nem pra docência, sem a realização de concurso público. E é esse TAC que está impossibilitando o começo das aulas, previsto para o dia 5 de fevereiro, nos três campi do interior. 

Uma nova reunião entre Unitins e MPT será realizada às 15 horas desta quarta-feira, 25, para tratar dessa situação, herdada pela atual gestão devido a criação dos três campi em fevereiro de 2014, sem nenhum estudo de viabilidade econômica e estrutural e pedagógica, por meio de Medida Provisória assinada pelo então governador Siqueira Campos.

O entendimento dos acadêmicos é de que o governador Marcelo Miranda e a reitoria estão se empenhando para resolver a situação. Após a suspensão das aulas nestes campi, a reitora foi pessoalmente conversar com os alunos e com a comunidade acadêmica e conseguiu, numa viagem de uma semana nos municípios, esclarecer qual a real situação da Unitins e o que vem sendo feito para que as aulas sejam retomadas, que é o maior interesse da instituição.

O voto de confiança foi declarado publicamente até pelos alunos de Augustinópolis, que chegaram a procurar a Assembleia Legislativa (AL) e Defensoria Pública do Estado (DPE) para exigir a retomada das aulas imediatamente. Ao sair da reunião na AL, na tarde desta terça-feira, 24, com o líder do Governo na Casa de Leis, deputado Paulo Mourão, e os estudantes, a reitora afirmou que eles compreenderam o esforço conjunto da Unitins e do Governo e estão otimistas.

Em Palmas, após reunião da reitoria com acadêmicos do campus da Capital no último dia 23, Adriana Cavalcante, aluna do 5º período de Direito, declarou que a Unitins teve uma atitude positiva. “Por muito tempo tivemos a realidade da universidade maquiada, mas pela primeira vez nos mostraram a realidade e também as necessidades. Isso é bom, porque os acadêmicos muitas vezes se sentiam perdidos”. (Ascom Unitins)


Por: Redação

Tags: Elizângela Glória Cardoso, Unitins