Polí­tica

Foto: Divulgação

Em pronunciamento feito na última terça-feira, 3, o deputado federal César Halum (PRB-TO) criticou a maneira como o governo vem administrando a crise econômica brasileira. O parlamentar afirmou que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy deve ser cauteloso com as medidas que estão sendo tomadas, pois, segundo ele, o Brasil não engolirá goela a baixo tudo que foi proposto. "Ao invés de aumentar impostos e tarifas, é preciso diminuir os gastos. Não se pode transferir a responsabilidade de um déficit econômico para os contribuintes brasileiros. O governo também tem que cortar na própria carne", asseverou.

Halum, que é presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica, Combustíveis e Telefonia, ponderou que, além das dificuldades com a alta tarifa de energia elétrica, o Brasil enfrenta um sério problema com os combustíveis. “A situação dos combustíveis é preocupante. Temos um dos valores mais elevados do mundo. Esse é um dos motivos dos muitos protestos que está ameaçando a economia brasileira e ocasionou a greve dos caminhoneiros. Estamos tendo dificuldades extremas no sistema de produção. Hoje, há indústrias, criatórios de aves, suínos e ovinos parados. Existe uma safra recorde de sejo, mas falta combustível nas fazendas para promover a colheita”, lamenta.

O republicano lembra que, mesmo apoiando os ajustes fiscais do Ministério da Fazenda, as discrepâncias impostas aos contribuintes são imorais. “Temos apoiado o ministro Levy desde a sua indicação. Sabemos as dificuldades que o País enfrenta e precisamos apoiá-lo para colocar a nossa economia nos trilhos mais uma vez. Contudo, o consumidor brasileiro não poderá pagar a conta” concluiu.