Polí­cia

Foto: Divulgação

A manhã começou tensa na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP) onde mais de 150 militares entraram na unidade com cães farejadores para fazer revista na unidade. Conforme informações ao Conexão Tocantins, os PM’s averiguam se há um túnel que teria sido feito pelos detentos para tentar fugir.

A falta de revistas e de visitas familiares aos detentos vem dificultando a convivência nos presídios. Nesta quarta-feira, 4, mais de 30 detentos se envolveram em um tumulto na Casa de Prisão Provisória de Palmas onde integrantes de grupos rivais começaram um princípio de rebelião.

A Polícia civil que está em greve não interferiu na briga que ocasionou em cinco feridos. A situação começou quando os presos estavam num banho de sol.

Segundo a Polícia Civil informou ao Conexão Tocantins dois dos presos feridos são eles: Antônio Filho Modesto, 21 anos, Flávio Alves Rodrigues, 20 anos, que foram agredidos por ferro e facas artesanais nas costas. Eles foram encaminhados pelo Samu (Serviço de Assistência Médica de Urgência) ao Pronto Atendimento Norte. Já os outros dois presos feridos, Laerte Rocha Dias, 27 anos, e seu irmão Leonardo Rocha Dias, 21 anos, foram levados ao atendimento médico pelos próprios policiais.

A CPPP tem atualmente mais de 500 presos.

A situação nos presídios tem se agravado com a greve e a Polícia Militar está autoriza a fazer revistas nas unidades conforme decisão liminar do Tribunal de Justiça.