Saúde

Foto: Júnior Suzuki

Foi iniciado nesta segunda-feira, 09, o Programa Integrado de Residência em Saúde (PIRS). A abertura oficial aconteceu no mini-auditório da Ulbra com a presença do Antropólogo e Militante do Sistema Único de Saúde (SUS) José Carlos Silva. O programa conta com 89 residentes em campo do primeiro (R1) e segundo ano (R2) de cinco programas de residência multiprofissionais e residência médica.

De acordo com a presidente da Fundação Escola em Saúde Publica (Fesp), Juliana Ramos, a partir do PIRS foi possível a implantação de novos projetos e programas de saúde, o maior deles foi o Núcleo de Apoio a Saúde da Família (Nasf). Os residentes conseguiram implantar o sistema com qualificação. 

“Foi possível implantar o sistema com qualificação porque os residentes, ao mesmo tempo que participam de um programa de formação junto com seus preceptores, eles também executam e criam ações, eles debruçaram e estudaram e conseguiram instituir o Nasf”, afirmou Juliana.

O intuito do programa de residência é transformar a rede municipal de saúde, trazer profissionais qualificados com perfil, trabalhando a integração das ações e não de ações isoladas, trazer o pensamento em ações conjuntas e coletivas no município.

“O PIRS com apenas um ano de existência já é o melhor da região norte do País. E são esses novos profissionais que podem mudar o serviço do SUS e dar uma nova cara”, afirma o diretor da Atenção Básica, Alessandro Pantoja.

Em seu segundo ano de programa, 55 residentes se inscreveram novamente para participar do PIRS. A veterana Viviane Araújo, residente em Odontologia, ressalta a importância para formação do profissional. “Na faculdade vemos disciplinas que levam o SUS muito superficialmente, e com o programa dos PIRS o choque com a realidade e com a prática é enriquecedor para a formação de um profissional, com o contato com as pessoas, o desenvolvimento do Nasf e a vivência nas Unidades de Saúde da Família, é algo único”, ressalta Viviane. 

O programa é realizado através de uma parceria entre Secretaria Municipal de Saúde (Semus), por meio da Fundação Escola de Saúde Pública com o Centro Universitário Luterano de Palmas (Ulbra) e com a Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Por: Redação

Tags: Alessandro Pantoja, Juliana Ramos