Polí­tica

Foto: Divulgação

A Assembleia Legislativa realizou sessão solene nesta terça-feira, 10, em homenagem ao Dia da Mulher. A deputada Valderez Castelo Branco (PP) falou da sanção da lei do feminicídio por parte da presidente Dilma Rousseff (PT). A deputada falou da Lei Maria da Penha e disse que ela mudou muito a sociedade. “ A lei Maria da Penha fez diminuir 10% da taxa de homicídios domésticos, com essa nova lei tenho plena certeza que vamos reduzir os índices de criminalidade contra a mulher”, disse,

A parlamentar frisou que vai trabalhar em prol das políticas para as mulheres no Estado. Valderez falou do baixo número de mulheres eleitas no Estado, das secretárias estaduais e das representantes do Tribunal de Justiça e ainda no Tribunal Regional Eleitoral.

A deputada Amália Santana (PT) falou do combate á violência contra a mulher. “Não podemos mais aceitar que uma mulher morra a cada hora vítima de violência em nosso país”, disse. Ela disse que é preciso somar esforços para dar uma vida digna para as mulheres e desenvolver políticas públicas de equidade. Ela pediu a aprovação de duas matérias de sua autoria que propõem a oferta de curso de qualificação profissional e a criação de um banco de emprego para mulheres vítimas de violência.

A deputada Luana Ribeiro (PR) disse que há avanços positivos para as mulheres. “Ocupamos mais espaço e isso é significativo”, disse. Ela lembrou o caso do assassinato da Professora Heidy Ayres que teria sido assassinada pelo marido, Alan Moreira. “O machismo, o crime pela honra ainda mata muitas mulheres diariamente”, lamentou.

A parlamentar falou das diferenças salariais entre homens e mulheres. “Se somos a maioria porque ainda sofremos muito preconceito? Se somos maioria porque ainda ganhamos 30% a menos que os homens em muitas funções”, questionou. Segundo ela a luta por igualdade salarial é uma das demandas das mulheres.

Vários deputados parabenizaram as mulheres e falaram da importância da data.

Na sessão várias mulheres foram homenageadas e receberam o certificado Guilhermina Ribeiro da Silva