Polí­tica

Foto: Divulgação

Os deputados estaduais travaram discussão na manhã desta quarta-feira, 10, sobre o episódio de agressão ao parlamentar José Bonifácio.  O deputado Paulo Mourão (PT) afirmou que a Assembleia Legislativa deve tomar medidas de proteção aos parlamentares. “Colocar em dúvida a palavra de um deputado da seriedade de um deputado acho que é colocar em dúvida a Casa”, disse ao pedir a averiguação.

O fato do voto de Bonifácio contrário à promoção dos militares no ano passado ser de fato a motivação para a agressão o que preocupou ainda mais os parlamentares.

O presidente Osíres Damaso (Democratas) disse que é contra agressão. “Quero que o comandante apure e se o policial realmente cometeu essa agressão ele pode dar até um tapa na cara do comandante, quero que apure”, disse. Ele anunciou algumas providências na segurança como a criação da Polícia Legislativa. “Este projeto já foi alterado para que possamos dar porte de arma a nossos seguranças”, disse.

Ele lembrou que ano passado os deputados chegaram a ser ameaçados por alguns policiais.

O deputado do PMDB, Elenil da Penha afirmou que alguns parlamentares passam por situações intimidatórias. Ele relatou que recentemente presenciou o colega Junior Evangelista ter sido agredido verbalmente no elevador por um cidadão. “Tem determinadas situações que é preciso que tomemos devidas providências no sentido de apurar, de verificar. Se não tomar providências pode virar rotina”, frisou.

O deputado Junior Evangelista disse que poderia ter acontecido com qualquer um parlamentar.

Valderez Castelo Branco lamentou o ocorrido e falou da necessidade de democracia.

Eli Borges (Pros) contou que chegou a ser hostilizado durante ser atendido numa loja. “Existe um ódio generalizado contra os políticos”, disse. Segundo o parlamentar, a classe política está em entrando num desgaste cada vez maior. Ele defendeu uma reação por parte dos políticos com relação à atitudes como as sofridas pelo deputado Bonifácio.

José Roberto Forzani (PT) disse que os deputados não podem aceitar agressão. “ Temos que tomar cuidado, sabemos que não foi torcedores do Interporto, como também não é da Polícia Militar, é uma atitude isolada, pode ser que muitos membros da Polícia Militar não possam ficar satisfeitos com o resultado de nossas votações”, disse. Ele falou que há um esforço enorme para desvalorizar os políticos.

“Não podemos permitir entrada de policiais armados, se policiais fossem entrar que deixem a arma do lado de fora”, frisou. O parlamentar quer medidas urgentes da Casa para garantir a segurança dos parlamentares.

Valdemar Junior disse que o parlamento precisa zelar pela integridade física dos deputados.