Campo

Foto: Divulgação

Após a confirmação em fevereiro, feita pelo Ministério da Agricultura (Mapa), de que o Tocantins mantém o status de zona livre da Peste Suína Clássica (PSC) nacional, o Estado buscará agora o reconhecimento internacional. E nos dias 19 e 20 de março, o presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), Humberto Camelo representará o Tocantins na reunião de reconhecimento internacional de zona livre da peste suína clássica, que acontecerá na sede da Agência de Defesa do Paraná (Adapar), em Curitiba-PR.

A reunião é promovida pelo Mapa e conta com representantes dos órgãos de defesa estadual de 14 estados que pleiteiam o reconhecimento internacional de zona livre desta doença.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, disse que está confiante num possível reconhecimento internacional do Estado: “Vamos a Curitiba, com o apoio do governador Marcelo Miranda, defender o reconhecimento internacional do Tocantins como zona livre da peste suína clássica, pois acreditamos que as nossas condições sanitárias, testadas recentemente por meio de inquérito sorológico para esta doença e aprovadas pelo Ministério da Agricultura, nos dão esta esperança,” disse o presidente. Ele ainda acrescentou que um possível reconhecimento por parte da Organização Mundial de Saúde Animal – OIE impulsionará a economia do Estado neste setor.

Segundo a inspetora agropecuária da Agência de Defesa Agropecuária – Adapec, Jakeline Almeida Lemos Vernier durante a reunião o Ministério da Agricultura tratará das condições dos estados de integrarem o pleito junto a OIE para o reconhecimento internacional de zona livre da peste suína clássica do país, apresentando com base nos relatórios enviados pelos estados, os avanços e as pendências de cada unidade federativa.

Dados            

O Tocantins é livre da PSC, enfermidade que afeta os suídeos, desde o ano de 2001. De acordo com os dados, o rebanho de suínos em 2014 foi de 268.746 animais, a grande parte é de criação de subsistência. Os municípios que concentram o maior número de animais é Araguatins, Formoso do Araguaia, Porto Nacional, Dois Irmãos e Gurupi.

O Estado conta com 12 granjas produtoras e dois frigoríficos, sendo que um é registrado no Serviço de Inspeção Estadual-SIE e o outro no Serviço de Inspeção Municipal-SIM, que estão localizados nos municípios de Palmas e Gurupi, respectivamente.