Economia

Foto: Divulgação

O quadro do consumo das famílias de Palmas continua o mesmo, ou seja, em queda. A pesquisa que mede a Intenção de Consumo das Famílias de Palmas (ICF), de março, registrou que enquanto em fevereiro o índice geral foi de 119,8 pontos, em março caiu para 111,7 resultando numa redução de 8,1 pontos. Na comparação com março do ano passado, que registrou 122,8, a queda foi de 11,1 pontos. A pesquisa é realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, (CNC), em parceria com a Fecomércio Tocantins.

Para as famílias que ganham até 10 salários mínimos ao mês, o ICF também apontou queda de 8,8 pontos, caindo de 118,4 em fevereiro para 109,6 em março. Para as famílias que recebem mais de 10 salários mínimos, a queda foi menor, de apenas 1,4 caindo de 133,5 em fevereiro, para 132,1 de março.

Quanto aos que afirmaram que seu consumo será menor nos próximos meses, do que o gasto no segundo semestre do ano passado, este número ficou em 37,3%. Comparado com o mês de fevereiro passado, que foi de 32,6%, houve um aumento de 4,7%. Sobre o consumo atual, os números apontaram que 48% dos entrevistados estão comprando menos referente ao mesmo período do ano passado. 32,8% revelaram estar comprando a mesma quantidade e apenas 18,6% afirmaram que estão comprando mais.

No acesso ao crédito, a maioria (61,3%) afirmou estar este mais difícil. Já na aquisição de bens duráveis, uma maioria simples (50,8%) afirmou ser este um bom período para a aquisição de imóveis, automóveis, eletroeletrônicos, dentre outros. Quanto a segurança no emprego, enquanto 79,4% afirmaram estar mais seguros em fevereiro, neste mês de março, esse número caiu para 77,8, registrando queda de 1,6 pontos.

No quesito de ocupação atual, 44,7% estão positivos com relação às perspectivas de crescimento profissional. Quanto à renda familiar, 63,6% disseram estar melhores do que o mesmo período do ano passado.

Para o presidente da Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, essa pesquisa revela um dos quadros da economia nacional. "Os aumentos de impostos, combustíveis e outras medidas do Governo Federal também estão refletidos aqui no Tocantins. O quadro é de preocupação e o que o empresário pode fazer nesse cenário é reduzir gastos”, afirmou.

A ICF avalia a intenção de consumo em duas categorias: famílias que percebem até 10 salários mínimos e aquelas que recebem mais de 10 salários mínimos. O índice geral, utilizado na maioria desse texto, é composto de ambas. E foi realizada nos últimos 10 dias do mês de fevereiro e no total, 500 famílias palmenses foram entrevistadas. São levantados sete itens junto aos consumidores, quais sejam: emprego atual, perspectiva profissional, renda atual, facilidade de compra a prazo, nível de consumo atual, perspectiva de consumo no curto prazo, e oportunidade para compra de bens duráveis.

Por: Redação

Tags: Fecomércio, ICF, Itelvino Pisoni