Estado

Foto: Divulgação Funcionárias de enfermagem em concentração da categoria no Hospital Geral de Palmas Funcionárias de enfermagem em concentração da categoria no Hospital Geral de Palmas
  • Greve também atinge a Maternidade Dona Regina

Pelo menos 70% dos servidores dá área da Saúde em 11 hospitais do Estado estão parados nesta segunda-feira, 30, segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde- Sintras informou ao Conexão Tocantins. Conforme o Sindicato a paralisação de 24 horas abrange os Hospitais Dona Regina em Palmas, as unidades de Porto Nacional, paraíso, Dianópolis, Miracema, Araguaína e até Gurupi.

O presidente do Sindicato, Manoel Pereira afirmou que serão mantidos apenas a assistência aos internados e os atendimentos de urgência e emergência. “Vamos manter quem está internado com atendimento mas é claro que a população será prejudicada por não vamos atender nada que seja eletivo nem cirurgias de rotina”, afirmou.

Ao Conexão Tocantins o presidente disse ainda que mesmo no Hospital Geral de Palmas – HGP, o maior do Estado, só serão atendidas as emergências.

O Sindicato terá um encontro com representantes do governo ainda na manhã de hoje para tratar das reivindicações apontadas pela categoria. Conforme o presidente a categoria deliberou que quer a inclusão do pagamento das progressões já no salário do mês de maio. “Se não houver inclusão das progressões no salário a partir de maio  a categoria não vai aceitar , esperamos que tenha uma boa proposta”, informou.

Mesmo com a paralisação e intenção de greve geral a partir do dia 6, conforma sustenta o Sindicato, o presidente disse que está de portas abertas para a negociação. “A paralisação é uma medida extrema mas as portas  não estão fechadas, queremos que paguem nossas progressões”, frisou. O compromisso foi feito pela gestão passada que não pagou e além disso sequer deixou o orçamento deste ano aprovado.

O governo estadual está com orçamento enxuto e recebeu o Estado com um rombo, conforme informações já veiculadas, em torno de R$ 4 bilhões no geral além disso o Estado está acima do limite de gastos com pessoal.

Por: Redação

Tags: Manoel Pereira, Sintras