Polí­cia

Foto: Divulgação

De 06 a 09 de abril, 1.537 policiais militares realizam provas dos cursos Especiais de Habilitação de Cabo - CEHC, Habilitação de Sargento - CEHS e Aperfeiçoamento de Sargento – CEAS, os quais tem o objetivo de desenvolver nos participantes competências, habilidades e atitudes necessárias ao desempenho profissional policial militar em suas esferas de atribuições, além de estimulá-los à autonomia intelectual para que possam articular saberes, procedimentos e atitudes pautadas no compromisso ético de bem servir à sociedade tocantinense.

Os cursos são uma iniciativa da atual gestão do comando geral da Polícia Militar, com aval do Governo do Estado por meio da Medida Provisória com força de lei número 11, de 16 de março de 2015.

As atividades de ensino foram realizadas na modalidade à distância, tendo como parte presencial a aplicação das avaliações, as quais estão sendo realizadas na própria Unidade do aluno. Todo o material pertinente ao curso foi disponibilizado para download na intranet da PMTO e nas Unidades Policiais Militares.  Assim, o aluno teve autonomia para gerenciar seu estudo e acessar os conteúdos a qualquer tempo e local.

As referidas unidades, no intuito de auxiliar e apoiar os militares inscritos nos cursos promoveram grupos de estudos para facilitar o processo de aprendizagem. Através desses grupos, oficiais voluntários em horário de folga, se propuseram a tirar dúvidas e esclarecer quaisquer assuntos a respeito do conteúdo das matérias.

Os cursos estão acontecendo desde o dia 02 de março, e finalizam dia 14 de abril do corrente, com divulgação dos resultados em 16 de abril, no site da PM. Foram ministradas matérias como Direitos Humanos, Fundamentos de Direito Penal, Legislação Institucional, Noções de Gerenciamento de Crises, dentre outras específicas da profissão.

De acordo com o Diretor de Ensino, Extensão e Pesquisa da Polícia Militar – DEIP, Cel. PM Antônio Benvindo, esse é um momento de grande importância para a corporação. “Ao longo dos anos vinham ocorrendo promoções para praças e oficiais, porém sem a realização de cursos de qualificação. Agora, através do novo Comando Geral e do Governo, juntamente com a DEIP, a tropa será qualificada e isso refletirá numa melhoria do trabalho da PM, sendo que quem vai ganhar é a sociedade”, explica o diretor.

Conforme as palavras do comandante geral da PM, Cel. Glauber de Oliveira Santos “o propósito é regularizar a situação dos militares que ainda não tinham passado por nenhum processo institucional de qualificação. Destaca-se que esta é a primeira vez que Polícia Militar realiza uma ação dessa natureza com tamanha proporção, mobilizando mais de 1.500 policiais. Nosso foco é valorizar o policial militar através da capacitação, bem como garantir que este ao ser promovido esteja apto a ocupar o novo posto ou graduação”. Ele destaca ainda que os cursos não modificam a antiguidade dos concluintes, conferindo-lhes apenas a condição de aptos ou inaptos.