Polí­tica

Foto: Divulgação

A senadora licenciada e ministra da Agricultura, Katia Abreu, continua à frente do comando do PMDB no Tocantins. Ela pediu e a executiva nacional concedeu a prorrogação por tempo indeterminado da vigência da comissão interventora que foi nomeada ano passado ainda nas convenções pré-eleitorais.

O partido tem sido alvo de críticas por parte dos próprios filiados que pedem uma reorganização da legenda que atualmente não tem sede e está inclusive sem fundo partidário. Ouvidos recentemente pelo Conexão Tocantins o prefeito de Paraíso do Tocantins e ex-governador do Estado, Moises Avelino, além das deputadas federais Dulce Miranda e Josi Nunes pregaram uma reestruturação da legenda principalmente nos diretórios dos municípios tendo em vista as eleições do próximo ano.

Avelino chegou a dizer que o partido está sem rumo. Já a deputada Josi Nunes lamentou o que chamou de forças alheias com objetivos individuais no partido. Membros do partido clamam por um processo de organização da legenda com foco nos diretórios municipais.

Em recente reunião no mês passado os deputados federais e estaduais do partido discutiram os rumos da legenda e formaram uma comissão para que a nacional validasse para comandar a legenda até a definição de um novo presidente porém a senadora agora permanece à frente da legenda.

Durante sessão desta quinta-feira, 9, o vereador de Palmas, Carlos Braga, na Câmara da capital, ressaltou o assunto e comemorou o comando de Katia no partido. “É uma honra tê-la à frente do partido”, disse, ao afirmar ainda que gostaria que o partido se unisse.