Polí­tica

Foto: Divulgação

Nomes que já se colocaram como pré-candidatos a prefeito de Palmas começam a conversar na tentativa de formar um grupo visando o pleito de 2016. As articulações estariam sendo encabeçadas pelo vereador Lúcio Campelo (PR) que já admitiu que tem vontade de disputar e ainda pelo ex-prefeito Raul Filho (sem partido) que começou a se movimentar e fazer visitas neste final de semana. O ex-prefeito visitou sindicalistas no final de semana e afirma que recebeu convites de vários partidos porém a tendência é se filiar novamente ao PT. O ex-prefeito deixou os quadros do PT.

Segundo Campelo afirmou ao Conexão Tocantins a intenção é formar um grupo e para isso até o ex-deputado Marcelo Lelis (PV) e o ex-deputado Sargento Aragão (sem partido) já teriam sido procurados. “Estamos conversando constantemente, o PR não tem dificuldade de conversar com ninguém, temos boas relações”, afirmou. O deputado Wanderlei Barbosa (SD) que fez várias acusações contra a prefeitura de Palmas na última semana também deve ser procurado pelo grupo.

Campelo é o vereador que mais critica a gestão municipal. “Não consigo hoje imaginar um processo de reeleição dentro do quadro que está aí”, disse em relação ao atual prefeito Carlos Amastha (PP).

Procurado pelo Conexão Tocantins, Aragão, que foi o mais votado para Senado na capital, na eleição do ano passado, disse que escolherá o novo partido até o mês de junho. “Possibilidade de ser candidato existe, o capital político nós deixamos na última eleição, afinal ganhamos com quase 50% em Palmas, mas não somos candidatos de nós mesmos, depende de muita conversação”, disse o ex-deputado estadual que chegou a ser eleito vice-prefeito de Palmas na chapa de Carlos Amastha mas renunciou.

Base crescendo

Enquanto a oposição tenta se organizar e se fortalecer através de um grupo a gestão do prefeito Carlos Amastha aposta no fortalecimento político e somente esse ano já conseguiu a adesão de vários partidos como PSB e PSDB. O PSD comandado por Irajá Abreu também tem tido uma boa relação com a gestão e deve compor também com a administração. Segundo aliados da gestão informaram, o prefeito está montando um conselho político da sua gestão. Amastha tem ampla maioria na Câmara de Vereadores da capital incluindo o apoio do PT e do PMDB.