Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Militar do Tocantins (PM-TO) realizou a transição da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP) para Secretaria de Defesa e Proteção Social do Estado, nesta segunda-feira, 13, devolvendo a competência dos trabalhos à Polícia Civil  em todas as 41 unidades prisionais do Estado.  Antes do repasse, a unidade de Palmas passou por vistoria.

O major e comandante do 1° Batalhão da Polícia Militar, Cláudio Thomáz Coelho de Sousa,  fez um balanço positivo dos trabalhos. “Conseguimos garantir nesse período os direitos dos presos de receberem visitas, assim como não deixamos de fazer o nosso trabalho externo de garantir a segurança da população”, ressaltou.

Antes da entrega oficial do comando da unidade em Palmas para Secretaria de Defesa e Proteção Social, os policiais militares finalizaram as atividades com uma vistoria. Na ocasião, foram encontrados seis aparelhos de celular, drogas e cerca de 40 armas artesanais.

De acordo com o major, a ação contou com a presença de cerca de 100 militares, que realizaram a revista em conjunto com a Companhia de Independente de Operações Especiais (Cioe). “Tivemos muito trabalho, mas a população carcerária recebeu de forma muito tranquila o trabalho de vistoria. Conseguimos resolver todas as questões por meio do diálogo”, ressaltou.

A responsabilidade pelas unidades prisionais foi passada para a Polícia Militar durante o período de greve da Polícia Civil, quando 400 policiais militares estiveram empregados em atividades no âmbito da CPPP. A volta gradual dos agentes penitenciários aos seus postos foi iniciada na última quarta-feira, 8.