Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Com o intuito de preservar e conservar a flora, a fauna, os recursos hídricos, as características geológicas e culturais, as belezas naturais, recuperar ecossistemas degradados e promover o desenvolvimento sustentável, o Tocantins conta com dez Áreas de Proteção Ambiental (APAs), cinco parques e uma estação ecológica, dois monumentos naturais e nove reservas particulares, que proporcionam pesquisas científicas, manejo e educação ambiental na busca pela conservação do meio ambiente.  

O gerente de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Maurício José Alexandre de Araújo, explicou que a criação das áreas de proteção ambiental no Estado está inserida na política nacional de conservação da biodiversidade. Segundo destaca, existem acordos internacionais firmados pelo Brasil para conservação da natureza e metas a serem cumpridas em termos de conservação de espaços territoriais. “Então, foram definidos, há alguns anos atrás, no final da década de 90 e início dos anos 2000, algumas áreas interessantes para o Estado e foram criadas as unidades de conservação", relatou.  

O gerente explicou que as motivações que levaram a criar os parques estaduais do Cantão e Jalapão foram a necessidade de conservação da biodiversidade e a singularidade das belezas cênicas. Já o parque do Lajeado foi criado a partir de uma compensação ambiental, devido à construção da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães (Usinade Lajeado).  

Parque Estadual do Lajeado  

Dentro desta perspectiva, o Parque Estadual do Lajeado tem o objetivo de proteger amostras dos ecossistemas da Serra do Lajeado, assegurando a preservação de sua flora, fauna e demais recursos naturais, características geológicas, geomorfológica, e cênicas, proporcionando oportunidades controladas para visitação, educação e pesquisa científica. Também tem a finalidade de proteger os mananciais que abastecem a cidade de Lajeado e coibir a expansão urbana nas encostas. 

O inspetor de Recursos Naturais do Naturatins, Victor Danilo Moreto, contou como acontece o trabalho de monitoramento, controle ambiental e fiscalização do cumprimento da legislação dentro do parque. “Nas unidades de conservação, nós seguimos o Plano de Manejo e dentro dele tem a pasta de Proteção e Manejo e ela vem contemplando todas essas atividades relativas a esse tipo de trabalho”, disse. 

O mapeamento das estradas no interior e ao redor do parque foi uma medida estratégica que possibilitou a realização do trabalho. “Nelas são feitas rondas pelos fiscais que cumprem uma agenda semanal e verificam se há cercas danificadas, pegadas de animais, marcas de pneus de carro ou pegadas de pessoas que possam estar entrando sem autorização no parque ou fogo. Além disso, mantém contato com moradores ao redor do parque para obter informações, tudo isso é registrado e passado para o gerente do parque”, pontuou.

O trabalho é desenvolvido por cinco técnicos, um gerente, três guarda-parques e cinco viveiristas cedidos através de termo de compensação. Além das atividades citadas anteriormente, é promovida ainda a educação ambiental direcionada aos visitantes, como alunos de escolas e universidades, integrantes de órgãos do Governo, funcionários do parque e moradores do entorno. Tudo isso com a finalidade de instigar o cuidado com o meio ambiente. Também está sendo feito reflorestamento em áreas degradadas. 

Victor Moreto contou que a equipe do parque tem a intenção de estabelecer parcerias com o setor público ou privado para que o mesmo seja aberto para uso público, com atividades como trilhas para caminhada e contemplação, para estimular, a partir da experiência prática, o entendimento de preservação do meio ambiente. 

Localização 

Criado pelo Governo do Estado através da Lei n° 1.244, em 11 de maio de 2001, o Parque Estadual do Lajeado tem área de 9.930 hectares, localizado na TO-020, quilômetro 24, sentido Palmas à Aparecida do Rio Negro.  Ele integra a Área de Proteção Ambiental Serra do Lajeado. 

O parque está inserido no bioma cerrado e possui características importantes para a manutenção do equilíbrio ambiental, como água em abundância e heterogeneidade ambiental, que mantém uma rica fauna regional. Na área de influência do parque, foram registradas 41 espécies de mamíferos, 219 de aves, quatro répteis e 50 anfíbios ocorrentes. 

Visitação

Os interessados em visitar o Parque Estadual do Lajeado devem enviar e-mail para o endereço pel@naturatins.to.gov.br, solicitando a entrada.