Campo

Foto: Imagem Ilustrativa

Os visitantes da 15ª edição da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins) terão a oportunidade de conhecer os potenciais da tecnologia de imagens com drones por meio da palestra que o pesquisador Lúcio André de Castro Jorge, vai realizar no dia 8, às 10 horas, no auditório 3 do Pavilhão Central.

Estudos empregando drones na agricultura - também conhecidos como veículos aéreos não tripulados (vants)  - vêm sendo conduzidos pela Embrapa Instrumentação (São Carlos –SP) desde 1997. O Centro de Pesquisa desenvolveu softwares que analisam com precisão e rapidez as imagens captadas.

Para a agricultura esses softwares podem, por exemplo, avaliar a qualidade do plantio, acompanhar o desenvolvimento da cultura, mapear deficiência de nitrogênio na cultura, estimar safra, detectar e mapear algumas doenças e pragas, além de estimar estresse hídrico.

O pesquisador Lúcio André de Castro Jorge, coordenador das pesquisas envolvendo os veículos aéreos não tripulados explica que o software SisCob permite ao agricultor treinar o sistema para reconhecer, por cor,  as diferenças que existem na imagem fazendo com que o software  determine a área ocupada, por exemplo, por nematoides, por plantas invasoras, identificar falhas de plantio, medir porcentagem de cobertura vegetal, dentre outras ações. "Isso permite um gerenciamento mais preciso da lavoura", diz.

Já o GeoFielder tem como objetivo coletar dados georreferenciados em campo. Castro Jorge esclarece que, no caso do drone, é preciso coletar imagens georreferenciadas que permitam fazer mosaicos precisos das áreas. "Para se ter uma ideia da área da fazenda toda é necessário juntar as fotografias em forma de mosaicos, para depois fazer o processamento", afirma.

O pesquisador  ainda lembra que o GeoFielder, versão android para uso em tablets, permite esta operação. "Na versão Windows, para uso em notebookes é usado como auxílio para coleta de contornos em campo e programar missões dos drones ou vants", explica.

Estes softwares estão disponíveis para download gratuito por meio do site http://labimagem.cnpdia.embrapa.br/.

Além das versões gratuitas, os programas foram licenciados para a empresa Stonway, que oferece cursos sobre os softwares, serviços de customização e atualização dos sistemas.

De acordo com Castro Jorge, a Embrapa tem investido no desenvolvimento de metodologias de processamento de imagens para drones capazes de operar em condições de campo adversas. "A utilização de drone na agricultura é bem mais barata e não tem volta", diz.