Polí­tica

Foto: Divulgação

Terminou sem encaminhamentos a audiência pública, realizada na tarde desta quinta-feira, dia 21, sobre uma proposta do presidente da Assembleia, deputado Osires Damaso (DEM), de criação do cargo e da carreira do contador público. Como a maioria dos presentes não conhecia a minuta do anteprojeto, foi agendada uma nova reunião para o dia 18 de junho, às 14h, nesta Casa de Leis, para que a classe disponha de tempo para apreciá-la.

Além de elogios à iniciativa, a audiência foi marcada por disputas entre representantes do Sindicato dos Contabilistas do Tocantins (Sindicont) e do Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Pelo sindicato, o contador Dete Nunes criticou o desinteresse do CRC pela ideia. Ele trouxe à reunião a minuta e pediu que os presentes avaliassem o teor do documento e posteriormente o devolvessem.

Os demais contadores alegaram não poder se pronunciar sobre um texto que sequer conheciam e defenderam a distribuição, inclusive por e-mails, para que toda a classe de contadores possa participar do processo. A questão foi resolvida quando os deputados Damaso e Ricardo Ayres (PSB) tomaram posição pela transparência.

Polêmica à parte, o mérito do projeto é apoiado por unanimidade. Dete Nunes explicou que a remuneração atual do contador na administração pública não corresponde ao elevado nível de responsabilidade que só cresceu após a Lei de Responsabilidade Fiscal e o novo Código Civil.

Também esteve presente na reunião a deputada Amália Santana (PT)