Estado

Foto: Divulgação

A Comarca de Gurupi recebeu nesta sexta-feira (29/5), o projeto Caminhos da Justiça da presidência do Tribunal de Justiça do Tocantins. Durante a manhã o presidente do TJ, Ronaldo Eurípedes, em conversa informal e direta com magistrados e servidores, tratou sobre as demandas de melhorias do Poder Judiciário. Uma oportunidade ressaltada pelo diretor do Fórum, juiz Edmar de Paula.  "Ele veio na comarca para olhar no olho do servidor, e é a hora de falarmos diretamente ao presidente do TJ".

Após a apresentação da servidora do Tribunal Maria das Graças Castro sobre os números atuais do Judiciário o presidente conclamou a participação de todos nesse momento de mudança e crescimento.  "A gente só consegue fazer as mudanças que a sociedade espera quando tivermos unidos, fazendo juntos. A sociedade deposita no Judiciário suas angústias e também sua esperança. Temos que ter orgulho de trabalharmos na Justiça e devemos prestar um serviço de excelência".

O desafio é produzir mais sem aumentar os gastos. Para tanto, a gestão 2015/2017 ressaltou durante o Caminhos da Justiça em Gurupi que uma das alternativas será a implantação do Trabalho Remoto. A proposta já está sendo desenvolvida e garantirá um maior equilíbrio da força de trabalho do Poder Judiciário.

"Temos comarcas, varas ociosas e outras sobrecarregadas e isso não é justo. Com o trabalho remoto quem tem menor carga vai ajudar a diminuir a demanda de quem está sobrecarregado e tudo isso sem sair da sua comarca de origem, por meio do processo eletrônico", explicou o desembargador Ronaldo Eurípedes.

Demandas Comarca

Como num bom diálogo os servidores tiveram a oportunidade de apresentar seus anseios e demandas. O escrivão André Henrique, elogiou a iniciativa do projeto Caminhos da Justiça. "É muito louvável trazer para as comarcas essa discussão de modo que possamos contribuir". Ele ainda sugeriu a abertura de concurso de remoção de modo a beneficiar as comarcas que precisam de mais servidores.

O presidente afirmou que as remoções já estão sendo analisadas, mas antes disso é preciso concluir a digitalização e identificar que perfil de profissional será necessário.

O juiz auxiliar da presidência Roniclay Alves também participou do encontro e comentou sobre as remoções. "São dois problemas, a má distribuição de servidores e a de competência. Nós estamos atentos e vamos fazer as mudanças necessárias".

A servidora Sinara Cristina falou da importância de todos conhecerem a realidade do Poder Judiciário. "Com as informações podemos nos situar onde é o nosso lugar nisso tudo".

Os servidores da comarca também apresentaram demandas como mais cursos na área de gestão e liderança; capacitação sobre o preenchimento da estatística; mais equipamentos; e informações sobre construção do novo fórum da cidade. Todos os questionamentos foram respondidos pelo presidente e sua equipe. (Ascom TJ)